LULA DÁ VOZ AOS POBRES NA ONU, DIZ ZECA DIRCEU 

O deputado federal Zeca Dirceu (PT) disse nesta terça-feira, 19, em Nova York, que o presidente Lula (PT) no pronunciamento que fez na ONU (Organização das Nações Unidas), colocou o Brasil no centro do mundo e deu voz aos pobres, migrantes, refugiados, miseráveis, excluídos e todas as pessoas marginalizadas no planeta. “O presidente Lula mostrou que o mundo não pode girar mais na lógica da concentração das riquezas, da pobreza, da exclusão das pessoas do estado de bem estar social e da agressão e da predação da natureza”, disse o líder do PT que acompanhou a comitiva presidencial na assembleia geral da ONU nos Estados Unidos.

“O presidente foi aplaudido desde o início do seu discurso várias vezes e tocou em temas sensíveis relegados nos últimos 20 anos como o combate à fome, à desigualdade e a busca permanente da sustentabilidade. Lula faz a rediscussão do papel do FMI (Fundo Monetário Internacional), da ONU, conselhos e de outras organizações e instituições internacionais que precisam evoluir e melhorar os desempenhos frente aos desafios que o mundo impõe”, completou.

Com a presença dos presidentes Rodrigo Pacheco (Senado) e Arthur Lira (Câmara dos Deputados) na viagem à ONU, segundo Zeca Dirceu, o presidente mostrou que o Brasil mudou, que o governo federal busca o diálogo, o entendimento e a união do País. “O Brasil está crescendo, recuperando seu tecido social, criando emprego, ampliando a renda e mostrando a importância do Congresso Nacional nessa transformação”, disse.

Diálogo e entendimento
“Foi uma decisão da própria ONU, os convites aos presidentes do Senado e da Câmara para mostrar ao mundo que há condições de um país conviver entre seus agentes públicos, com discussões pontuais, independente de questões ideológicas e políticas. Cuidar das pessoas está no centro do governo. Isso está sendo mostrado ao mundo e também foi colocado pelo presidente Lula no seu discurso”, disse o deputado.

Com o presidente Lula, aponta Zeca Dirceu, a imagem do Brasil voltou a ser positiva perante o mundo, o que tem impacto na realidade do país, com emprego, renda, investimento, segurança e estabilidade. “O novo Brasil é contra tudo aquilo de ruim, de imprevisível, de insano que aconteceu nos últimos anos, inclusive em falas do ex-presidente que foram deploradas na ONU”.

Para o deputado, o país tem um plano de ação traçado com o novo PAC, um conjunto de medidas, programas e ações e metas estabelecidas. “O presidente Lula fez um discurso mais amplo, além de  questões pertinentes ao Brasil. Isso ficou exemplificado, por exemplo, quando ele fala que o mundo tem mais de 700 milhões de pessoas passando fome e da desproporcionalidade das ações do FMI quando se compara os continentes europeu e africano”.

Banner Edplants, Acesse