Zona 06 tem o maior índice de focos do mosquito da dengue de Cianorte

Conforme o 4º Levantamento de Índice Rápido Aedes Aegypti, taxa na região da Capela São Judas Tadeu é de 3%, sendo que 1% é o máximo preconizado pelo Ministério da Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou, nesta quinta-feira (31), o resultado do 4º Levantamento de Índice Rápido Aedes Aegypti (LIRAa) do ano, realizado nos imóveis da área urbana de Cianorte, entre os dias 29 e 31 de outubro. A pesquisa, desenvolvida pelos agentes de endemias, revela que o índice de infestação do mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febres chikungunya na cidade é de0,7%. O número é inferior ao que a Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza, que é 1%.

Os dados estão baseados na visita a 1.536 imóveis, de 25 regiões da cidade. Na sondagem foram encontrados 11 focos do Aedes Aegypti, apontando risco baixo de infestação. As regiões com o maior índice de infestação foram a Zona 06 – Capela São Judas Tadeu (3%); Zona 07 – Conjunto Ovídio Franzoni (2,5%); Zona 06 – Conjunto Pedro Moreira (2,3%); Zona 02 – AABB (2%); e a Zona 03 – Capela São Sebastião (1,9%).

“Apesar de não se tratar de um resultado alarmante, os cuidados para combater o mosquito não devem cessar, ainda mais com o período de muito calor e chuvas que estamos vivenciando. É extremamente necessário que a população nos ajude nesta causa e elimine de seus quintais os materiais que possam acumular água, bem como verifique dentro de casa os possíveis pontos de acúmulo de água”, solicita a supervisora do Programa de Combate à Dengue da Prefeitura, Vera Lucia Fusisawa.

Ainda segundo o levantamento, 36,4% dos focos foram encontrados no lixo, como carcaça de máquina de lavar, lata e bandeja de alumínio. Os demais foram identificados em depósitos ao nível do solo: tambor e balde com água da chuva (27,3%); depósitos móveis: vasos de plantas e filtros de água (18,2%); e depósitos fixos: piscina (18%. “Muitas pessoas esperam a visita dos agentes para a destruição desses criadouros, porém, estes são locais que cada um, na sua casa, consegue eliminar. É preciso que todos criem o hábito de fiscalizar seus próprios imóveis e destinem corretamente seu lixo”, conclui a supervisora.

OUTROS LOCAIS

Nos distritos de Vidigal e São Lourenço e nas áreas rurais do município a pesquisa não acontece por amostragem. Nestas localidades, todos os imóveis são considerados. Entre esses pontos, o local que apresentou o maior índice de infestação foi a região do Conjunto Industrial Abrão Nacle (3,8%), seguido pelas proximidades da Estrada dos Amores (1,8%), Estrada Apuí (1,6%), Venda Maringá (1,6%), Vidigal (1,5%), São Lourenço (1,4%) e PR-323 (0,3%). No total, foram detectados 39 focos.

“Uma situação que nos preocupa muito é a de Vidigal. O distrito registrou em outubro 29 novos casos de dengue, sendo que em todo o município foram confirmados 31, no período. Para conter esse avanço, nossa equipe já promoveu diversas medidas, como a conscientização da população, a formação dos Agentes Comunitários de Saúde e ações de bloqueio mecânico (verificação, identificação e eliminação de focos) em todas as residências”, relata a supervisora Vera, que espera contar com a ajuda da população e na próxima semana envia novas equipes ao local para novas ações de combate.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Cianorte

Compartilhe: