Você nunca conseguirá

Você nunca conseguirá, por mais que eu queira, entrar completamente, de vez, no âmago, no escondido coração de alguém. Este recôndito não lhe pertence, nem que queira! Trata-se tão somente de um direito impenetrável do ser humano. Não lhe pertence este dom, aliás, ninguém o tem. Há quem diga que conhece a profundeza do coração do outro. Ledo engano! O poeta já disse: “O coração é terreno que ninguém pisa“. Por melhor que seja o profissional desta área nada o tomará tão audacioso. A experiência de trabalhar com condenados por crimes de toda ordem ensina que já um esconderijo dentro de cada um e lá ficam tão somente as lembranças circunstâncias que o levaram a transgredir, mas, dificilmente se encontra neste esconderijo a decisão de não mais transgredir. Você entra, no escuro da caverna da alma, penetra com todas as luzes do bem e estas não acendem, a ponto de permitir a nossa desistência de fatos e segredos que não conseguimos compreender. O que leva uma pessoa a cometer um crime… A forma de que a vida lhe apresentou, permitindo que todos os limites fossem ultrapassados, limites do bem e do mal, sem admoestação por parte do adulto, faz com esta criança se sinta poderosa, única com direitos que ainda não consegue entender e ela se torna fortalecida diante de fatos que ainda não consegue compreender, e ultrapassa todos os limites impostos pela convivência pacífica entre todos. Pronto, está aí formado o não-cidadão que ninguém deseja que entre em sua casa, que lhe usurpe o seu carro, que lhe dê calote e consegue com a sabedoria que a malandragem lhe deu, acionar golpes inteligentes e impensáveis por um ser humano do bem. Aí está formado, graduado, o bandido com diploma. Vive entre nós, transita pelas ruas, além de ser um excelente observador de hábitos e costumes, alias os mesmos que costuma transgredir.

Eu diria que a salvação está na família… e se não tem família… a salvação está nas pessoas responsáveis que amparam esta criança ou adolescente, em qualquer idade. Benditas pessoas estas que se dispõem, sem profundidade de conhecimento da alma humana a trabalhar com estas pessoas… e se está numa família que não tem o dom de educar o filho para o mundo, pais que não se permitem dar o bom exemplo, esta pessoa irá pelo túnel do tempo coletando e fazendo plágio de comportamentos pouco recomendados. Olha… sabe, ele está na sua rua, em frente ao portão e é bom observador: sabe se a casa tem câmera, sabe distinguir a casa vulnerável, sempre será um ótimo expert de saltos em altura e seu coração não se comove, quando há bens matérias em usurpar. Há que se ter cuidado e há que se não mais acreditar no ser humano! A que ponto chegamos! De ter cuidados com o outro, há que se permitir que a própria liberdade seja censurada pelo medo…

E eu, criança, rezava para ter a possibilidade de chegar ao ano 2000 e sorver toda a criatividade deste novo século! Estou aqui! E agora…

Izaura Varella

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse