Vara da Infância e Juventude de Cianorte lança programa Apadrinhar é Legal

 

apadrinha-legal02Possibilitar experiências saudáveis de convívio familiar; patrocinar alguma atividade ou prestar serviços voluntários. Estas são, resumidamente, as três formas de participação no programa Apadrinhar é Legal que, lançado em Cianorte na tarde da última segunda-feira (20), pela Vara da Infância e Juventude, tem o objetivo de encontrar na sociedade civil parceiros para fomentar o desenvolvimento das crianças e adolescentes em situação de acolhimento pela Pousada da Criança que, atualmente, abriga 12.

A solenidade ocorreu na Sala do Tribunal do Júri, no Fórum, e reuniu representantes de diversos órgãos governamentais, bem como de empresas privadas. As explanações sobre a finalidade, formas de adesão e funcionamento do programa foram realizadas pela juíza da Vara da Infância e Juventude, Dra. Marília Mitie Yoshida, e pelas psicólogas do Serviço Auxiliar da Infância e Juventude (SAIJ), Larissa de Menezes e Lilian Lavorente.

“Trata-se da regulamentação de algumas ações que já acontecem em Cianorte, no sentido de que sempre contamos com a ajuda da população na Pousada da Criança. No entanto, este é um projeto mais ambicioso e criterioso, pois visa promover, além do suporte financeiro, o estabelecimento de vínculos afetivos, pelos quais o padrinho irá ensinar o que é família e o que é a convivência em sociedade, com exemplos positivos e diferentes daqueles que, até então, as crianças e adolescentes abrigados tiveram em suas casas de origem, onde passaram por situações inadequadas”, destacou a Dra. Marília.

Nesse sentido, as psicólogas explicaram que o objetivo do programa não é a adoção e nem a guarda, mas o comprometimento de pessoas que podem amparar emocionalmente ou prover materialmente os acolhidos pela Pousada, com o que lhes é necessário na ausência dos pais. “É preciso partir do princípio de que são crianças e adolescentes em uma situação peculiar, que requer cuidados. Eles estão sob a tutela do Estado, que supre as necessidades básicas e garante o acesso aos direitos básicos. Assim, o apadrinhamento vem para complementar esse trabalho, oportunizando experiências de afeto, lazer, aprimoramento de habilidades, entre outras”, salientaram.

Os interessados em participar do programa, em qualquer modalidade (financeira, afetiva ou de serviços), seja de maneira individual ou coletiva (associações, empresas e outros grupos), devem procurar pelo SAIJ, no Fórum, e efetuar inscrição. Os que optarem pelo apadrinhamento afetivo deverão providenciar documentação específica, passar por entrevista, avaliação psicossocial e curso preparatório. “Tem de ser uma seleção cuidadosa, pois estamos lidando com aquilo que o ser humano tem de mais valioso: os sentimentos. Por isso, assegurar que o padrinho afetivo tenha o perfil adequado é essencial para o sucesso do programa”, finalizou a juíza.

A iniciativa conta com o apoio da Prefeitura que, na ocasião, esteve representada pelo próprio prefeito Bongiorno e pela secretária municipal de Assistência Social, Marlene Bataglia, acompanhada por servidores da pasta, como os membros do CRAS e CREAS. Também estiveram presentes a coordenadora da Pousada da Criança, Rosana Castilho; o representante do Ministério Público, promotor Carlos Henrique Soares Monteiro; a chefe do Escritório Regional da SEDS, Lucélia Guimarães Gelfei; a secretária municipal de Educação e Cultura, Maria Neuza Casassa; os vereadores Natal Reis e João Alexandre; além de conselheiros tutelares, membros de clubes de serviço, entidades, igrejas e outros. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (44) 3619-0523 e (44) 3619-0524.

FAZENDO A DIFERENÇA – A ocasião também contou com um breve relato, realizado pela coordenadora da Pousada, sobre como os apadrinhamentos têm feito a diferença para os acolhidos pela instituição. “Atualmente, já contamos com o apoio de três padrinhos, nas modalidades financeira e de serviços.  Um deles providenciou chuteiras, outro se responsabilizou pelas mensalidades e, pelo período de seis meses, os meninos terão o ensino do futebol garantido. Além disso, temos uma pessoa que se comprometeu com um bolo para cada aniversariante. Isso, para eles é muito significativo”, mencionou Rosana. (Texto e foto: ASCOM PMC)

apadrinha-legal01

Compartilhe: