UMA PERDA IRREPARÁVEL: LAURA GUEDES SCHULZ

Dr. Ramon Máximo Schulz foi o terceiro prefeito municipal de Cianorte. Desde os primeiros momentos do nascimento de nossa terra cianortense ele já estivera por aqui. Formado médico pela Escola Paulista de Medicina, no ano de 1.953, logo veio conhecer o núcleo urbano que estava sendo formado no noroeste do Paraná, através do conhecimento que tinha com Luiz Branco, que era genro de Gastão Mesquita um dos integrantes da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Em janeiro de 1.954 fixou-se definitivamente, em nossa cidade, indo morar no recém-construído Hotel Cianorte, na Praça 26 de Julho, ainda solteiro. Algum tempo depois se casou com a nossa homenageada de hoje LAURA GUEDES SCHULZ, trouxe-a para cá, para morar numa cidade que nascia e que não tinha absolutamente nada, a não ser troncos queimados no meio das avenidas que se abriam pelas mãos dos mateiros. Se não foi fácil para Dr. Ramon, adaptar-se nesta terra coberta de matas, imagina para uma jovem que começava sua vida no último recanto habitável do noroeste do Paraná. Não faltou coragem para Dona Laura como era conhecida e amada. Laboriosa e discreta prestava sua colaboração junto ao marido e mais dois médicos que começavam a construir o Hospital São Lucas, (mais tarde Nossa Senhora De Fátima) na Rua Piratininga, onde hoje é a Santa Casa, quando foi inaugurado em 26 de julho de 1.954. Logo nasceram seus dois filhos: Henrique Otto Schulz e Ramon Schulz Filho, este casado com Rossana Pagani, de família também pioneira. Dona Laura, viveu discretamente ao lado de seu marido, que foi o terceiro Prefeito Municipal de Cianorte, no período de 24 de dezembro de 1.963 a 31 de janeiro de 1.969. Ela embarcou nesta jornada voluntária e foi a idealizadora do Hospital de Proteção à Maternidade e Infância, localizado na Rua Santos e que foi construído durante sua permanência como primeira dama. Seu cuidado pelas gestantes era constante e dedicou-se também ao atendimento de crianças em situação de risco. Quem precisava de atendimento médico e não tinha recursos sabia que procurar a Dona Laura encontrava resposta para suas aflições. Foi uma ativa participante das causas sociais da cidade, sempre, no entanto, desempenhando estas tarefas discretamente. Bem me lembro desta senhora elegante no vestir e nos gestos, nos jantares e organizações sociais da época em que teve presença importante nos eventos. Não foi nada confortável para Dona Laura perder o seu marido, estimado em toda a cidade, no dia 4 de setembro de 2.001. Sempre esteve, depois da morte de Dr. Ramon, sob os cuidados de sua família que ficou. Entretanto, o tempo passa e com ele vêm também momentos de saúde nada agradáveis. Morou longo tempo em um apartamento, para depois sua família transferi-la para a Casa de Repouso, eis, que a doença a impediu de cuidar-se sozinha e reconhecer as pessoas. Foi muito bem cuidada até o fim de sua vida, quando nos deixou nesta semana, com 95 anos!

Enfim, o Prefeito Dr. Ramon Máximo Schulz teve a companhia constante de Dona Laura em todas as questões sociais da cidade ela sempre o acompanhou, principalmente, no grande projeto de levantamento topográfico e altimétrico de Cianorte, com discreta conselheira. Ele se foi tem algum tempo e agora Dona Laura se vai também. A sua passagem pela nossa cidade não foi em vão. Fique com Deus, Dona Laura!

Izaura Varella

Cidadã cianortense

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse