TIROS E FACADAS


Já vivi muitas décadas de vida e fui testemunha da história de fatos significativos que aconteceram ao longo destes anos. Hoje acordei com a lembrança do assassinato do Presidente John Kennedy, um presidente católico americano, o 35º Presidente dos EUA, o quarto presidente a morrer assassinado e o oitavo a morrer durante o mandato. Estava voltando da Escola Normal Candido Portinari, passando pela Rua Ipiranga, quando alguém me falou que ouviu no rádio que Kennedy morreu assassinado, às 12:30 horas e o fuso horário indicava 18:30 horas no Brasil, no dia 22 de novembro de 1963. Ele estava em plena campanha para reeleição, no Texas, um estado que não tinha muita popularidade e pretendia fazer um up grade na campanha. Com o carro conversível com o teto descoberto passava por uma praça e a velocidade do carro estava lenta, em 15 km por hora. Três tiros deflagrados de uma Carabina Paraviccini-Carcano, calibre 6,5 x 52 mm, com mira telescópica, atingiram sua cabeça e no pomo de adão, este tiro certeiro, foi que calou sua voz para sempre. Como um embaixador americano junto às Nações Unidas havia sido insultado e empurrado com sinais de protesto em Dallas uns dias antes, foi organizada a maior operação policial da história da cidade para prevenir a chegada de Kennedy. Não adiantou a proteção, eis que Lee Harvey Oswald, aproveitou a lentidão da comitiva para acertar o seu alvo com a arma que havia comprado pelo correio, em nome falso, ao custo de U$19,95! Lee Harvey Oswald identificado e preso, viveu na União Soviética por muitos anos e suspeitava-se que fosse agente do serviço secreto cubano. Oswald nunca foi julgado porque dois dias depois quando a polícia fazia o translado dele sob custódia para uma organização prisional, Jack Ruby dispara sobre ele e o mata! Quem matou John Fitzgerald Kennedy o homem da direita americana que revolucionava o país com suas ações e era querido além das fronteiras americanas? Quem conspirou contra Kennedy? A mando de quem? Por que Jack Ruby matou Oswald?

Dia 6 de setembro de 2018, em Juiz de Fora, em Minas Gerais um candidato a presidente da República Federativa do Brasil, nos braços do povo, circula pelas ruas no meio de multidão de apoiadores. Apoiadores? Entre eles, infiltrado, com uma faca enrolada num jornal, Adélio Bispo de Oliveira, um ativista de esquerda, amalucado, aproxima-se e num golpe certeiro, atinge o abdome, do candidato Jair Messias Bolsonaro, rompendo uma veia importante abdominal, perdendo mais de 40% do sangue de seu corpo e leva sua campanha para dentro de uma UTI de um hospital. Mesmo estando cercado de seguranças foi atingido e Adélio, preso em flagrante, “a mando de Deus”, cria uma conspiração contra a Maçonaria! Levado à uma audiência de custódia, estranhamente, compareceram quatro advogados de São Paulo, que vieram de jatinho particular, para defender o réu desempregado, mas que tinha um notebook e quatro celulares e ainda havia pago a pensão adiantada! Quem conspirou contra Bolsonaro? A mando de quem? Por quem foram mandados os quatro advogados para defender o criminoso? Não quero aqui criar uma teoria para desvendar a conspiração, mas se puxar a linha até o fim do novelo talvez encontrem aí as respostas, enquanto nós, brasileiros ficaremos aqui acomodados, digerindo com dificuldade as mudanças drásticas e aterrorizantes pelas quais passa o meu querido Brasil…

Izaura Varella

Cianorte, 23 de setembro de 2018

Compartilhe: