Sessão da Câmara tem protesto e discussão

camara-mar28 (4)A sessão de hoje (28) na Câmara de Vereadores de Cianorte foi um exercício de democracia. Apesar de alguns ânimos mais exaltados. A sessão acontecia tranquilamente e com o local lotado. Após a parada dos procedimentos para uma homenagem à uma aluna cianortense, parte do publico levantou cartazes protestando contra a recomposição salarial dos vereadores anunciada na semana passada.

E uma professora tomou a frente da iniciativa falando da situação, comparando com a crise política que acontece no Brasil. Todos ouviam o discurso até que houve um questionamento de uma pessoa da imprensa e a coisa esquentou. Alguns se exaltaram, gritaram, apontaram o dedo.

Seguiu o bate-boca por alguns minutos citando que os vereadores trabalham só um dia da semana, que o salário dos professores é menor, desemprego, questionada a moralidade salarial, entre outras situações. Até que o presidente do Legislativo, Carlos “Dadá”, interveio conforme o regimento interno.

Seguiu uma conversa tranquila, com Dadá explicando sobre o regimento e colocando o microfone a disposição do grupo em uma próxima sessão caso houvesse interesse. A sessão foi retomada com os projetos e parte dos manifestantes saiu em seguida, demonstrando desinteresse pelo que era apresentado e votado pelos vereadores. Quando a sessão terminou por volta das 20h55, metade do público já havia ido embora meia hora antes.

INCENTIVO – Em várias oportunidades o jornal Folha de Cianorte indicou os horários e até publicou o endereço da Câmara de Vereadores para que a população participe das sessões e saiba o que é votado e debatido sobre a cidade. O que pouco acontece. Na maior parte das sessões há poucas pessoas. E a frequencia só é maior quando tem alguma polêmica. Como no caso de hoje.

A participação nas sessões é importante para que não se saiba do que acontece na cidade somente pela internet. Onde pessoas acabam emitindo opiniões em cima de boatos e até de situações que não são verdades e divulgadas conforme interesse de algum grupo específico. Incluindo reportagens da imprensa sem assinatura, sem dar a oportunidade do outro lado falar.

DESINFORMAÇÃO – Um exemplo aconteceu no protesto hoje. Um rapaz perguntou quem havia votado o reajuste. O presidente da Câmara respondeu que a recomposição salarial baseada na inflação foi votada na semana passada e aprovada por unanimidade [inclusive por vereadores da oposição]. O resultado foi divulgado pela própria Câmara e por diferentes órgãos da imprensa.

Alguns vereadores demonstraram aborrecimento e até rebateram as críticas na discussão de hoje. Quem pediu a palavra explicou que recebe a população em seus gabinetes durante outros dias da semana, visitam bairros atendendo demandas da comunidade, entre outras iniciativas, não só em um dia. E que não aceitam ser comparados com o quadro político federal de corrupção. Houve até quem anunciou que doaria parte do salário.

Independente do calor da discussão, a participação popular na Câmara de Vereadores deveria acontecer mais vezes. Não somente para protestar ou quando for votado algo de seu interesse ou setor de trabalho. Mas, sempre que possível. No ano passado foram realizadas na Câmara cianortense 74 sessões com 1.498 procedimentos entre projetos, requerimentos, moções, entre outros.

Texto e fotos: Andye Iore

camara-mar28 (1) camara-mar28 (2)

 

 

Compartilhe: