Seminário discute gestão de riscos e a implementação no Governo

Ao abrir o Seminário Gestão de Riscos: Desafios e Oportunidades no Setor Público, promovido pela Secretaria de Estado da Fazenda, o controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, ressaltou que a discussão desse tema vem ao encontro à proposta do governo do Estado, que busca a melhoria do serviço público com treinamento e capacitação dos servidores na identificação de riscos, vulnerabilidades e fragilidades, “para podermos saná-las”.

O seminário, promovido pela Escola Fazendária e pela Assessoria de Modernização Fazendária, com apoio da Controladoria Geral do Estado e da Procuradoria Geral do Paraná, apresentou o estudo de casos de Estados como Minas Gerais, Alagoas e Ceará, que já criaram programas de Compliance e Ética na gestão pública.

“Queremos promover o repensar das práticas”, explicou a chefe de Gabinete da Secretaria da Fazenda, Lilian Alves. “Podemos na implementação da gestão de riscos aprender, também, com os erros de outros Estados, para não repeti-los”, afirmou, uma vez que muitos riscos que se apresentam ao gestor público nem sempre são reconhecidos.

Realizado durante toda esta quarta-feira (5), o encontro também trouxe palestras de especialistas renomados sobre o assunto, como o sócio da prática de Investigações e Compliance da KPMG One America, Raphael Soré; e o sócio diretor da EloGroup, especialista em gestão organizacional, Carlos Eduardo Gonçalves.

Para a especialista em Desenvolvimento Municipal do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Cristina MacDowell, os riscos permeiam todas as secretarias em suas várias facetas. “Este é um tema recente mas temos a percepção que todos acreditam que é preciso trabalhá-lo. Às vezes é um processo lento, mas estamos conseguindo sensibilizar os gestores sobre essa necessidade”, avaliou.

O controlador-geral Raul Siqueira contou que o Paraná está trabalhando para se transformar em referencial para outros Estados do Brasil neste assunto. Segundo ele, o desafio do governo Carlos Massa Ratinho Júnior é disseminar essa cultura da integridade, do Compliance, da Ética e do modelo da Gestão de Riscos a todos os níveis e setores do governo.

“Tínhamos uma grande preocupação: se conseguiríamos mobilizar todos os servidores, todos os atores desse processo; mas é muito gratificante ver que todos estão engajados. A História já mostra: o paranaense tem em sua cultura, internalizado, esse combate à corrupção, fazer o que é certo”, afirmou o controlador-geral.

Ao encerrar o seminário o secretário de Estado da Fazenda, Renê Garcia, ressaltou que a Secretaria estará sempre engajada em contribuir para a melhoria de boas práticas de governança.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: