Secretaria de Saúde faz campanha de prevenção à AIDS

inforgraficoPróximo à data em que, nacionalmente,se recorda a Luta contra a AIDS (1º de dezembro), a Prefeitura de Cianorte, por meio da Secretaria de Saúde, no intuito de incentivar a testagem para o diagnóstico do HIV, promove uma agenda especial para a realização de testes rápidos, tanto do vírus da doença, como de Sífilis e das hepatites do tipo B e C. A única exigência para o usuário é a apresentação de documento com foto e possuir mais de 15 anos.

O exame é simples e rápido. “Não é preciso ter encaminhamento médico. O atendimento demora em torno de 45 minutos e o paciente já sai com o resultado depois de 30 minutos”, explica a enfermeira do CTA, Aline Soares de Almeida Leal.

Os testes em horários especiais acontecerão no sábado (26 de novembro) das 8h às 17h em Cianorte, noCentro de Testagem e Aconselhamento (CTA) – Travessa Itororó (400), fundos do antigo PA – e em São Lourenço e Vidigalnas Unidades Básicas de Saúde. Já entre os dias 28 de novembro e 02 de dezembro (de segunda a sexta-feira), das 8h às 12h e das 13h30 às 21h, o atendimento também ocorrerá no CTA.

“Por meio dos horários diferenciados, pretendemos oferecer à população mais uma oportunidade de realizar testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis como o HIV (vírus causador da AIDS), sífilis e hepatite, até porque sabemos que quanto antes acontecer o diagnóstico mais eficaz será o tratamento”, aponta o secretário municipal de Saúde, Rogerio Sossai.

QUADRO DAS DOENÇAS

Do início deste ano até agora, foram registrados 36 pacientes com o vírus HIV em Cianorte. Destes, seis foram constatados em mulheres e os outros 30 em homens. Entre o público feminino a faixa etária que apresentou maior incidência de casos foi entre os 20 e 24 anos (33%).  Entre os homens o resultado não foi diferente, de modo que a maioria dos casos se manifestou na mesma faixa etária(26%). “Importante ressaltar que essas doenças não escolhem a idade, todos estão sujeitos se expostos aos fatores de risco, como a atividade sexual sem preservativo, transfusões sanguíneas com material contaminado, entre outras ações”, explica Aline.

Texto e Arte: Assessoria PMC

Compartilhe: