Saúde mental é tema de seminários voltados aos pedagogos da rede pública

saudementasiteQuando alguém quebra uma perna, machuca alguma parte do corpo ou sente qualquer tipo de dor física, a primeira coisa que as pessoas fazem é procurar por um atendimento profissional. Mas porque o mesmo não acontece quando a saúde mental de alguém está comprometida? Tem gente que, por anos, convive com distúrbios de ansiedade ou alimentar, com a depressão ou qualquer outro problema dessa natureza, sem procurar qualquer tipo de ajuda, por conta do preconceito ou mesmo da falta de informação a respeito dos tratamentos existentes.

Com os objetivos de evitar que esse tipo de situação aconteça entre crianças e adolescentes que apresentam algum tipo de disfunção semelhante, e de possibilitar que sejam ofertados o diagnostico e a atenção adequada, o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS I) de Cianorte, realizou na última quinta e sexta-feira (09 e 10), seminários a respeito dos transtornos mentais. As formações aconteceram no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) e foram direcionadas aos pedagogos que atuam nas Redes Municipal e Estadual do município e da região.

“Optamos por conversar com estes profissionais por entender que, devido à proximidade que estabelecem em sala de aula com o nosso público-alvo [pessoas com até os 17 anos],eles têm a capacidade de auxiliar no encaminhamento para o serviço que ofertamos, bem comode contribuir no processo de socialização”, contou a psicopedagoga do CAPS I, Talita Bongiorno. A ideia dos seminários, segundo ela, surgiu durante as reuniões do Comitê de Saúde Mental. “Nos relataram que muitas dúvidas surgiam sobre o assuntono ambiente escolar e por isso optamos por esclarecer essas questões”, continuou.

As conversas durante os eventos assumiram um tom informal entre a equipe multidisciplinar do CAPS e o público presente, possibilitando que muitas dúvidas fossem esclarecidas. “O que a gente procura através do nosso trabalho é, principalmente, contribuir no processo de socialização dos nossos usuários. Buscamos,através de uma visão ampla do indivíduo, evitar internações, atuando, como intermediadores para que eles obtenham uma vida social plena”, explicou a psicóloga do órgão, Thaise Dantas. A secretária municipal de Educação e Cultura, Maria Neuza Casassa e a chefe do Núcleo Regional de Educação, Yolanda Cristina Oliveira prestigiaram os seminários.

Compartilhe: