Saúde capacita 900 profissionais que atuam nos cuidados ao idoso

A Secretaria de Estado da Saúde promove nesta segunda e terça-feira (25 e 26), em Irati, mais uma etapa do PlanificaSUS, projeto que tem como objetivo organizar a Atenção Ambulatorial Especializada em Rede com a Atenção Primária à Saúde. Cerca de 900 profissionais participam da capacitação sobre os cuidados com a saúde dos idosos.

O PlanificaSUS é uma proposta do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e tem apoio do Ministério da Saúde, secretarias estaduais e municipais, com a execução da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. Está em implantação em todos os estados brasileiros que desenvolvem projetos-pilotos com diferentes temáticas e que, futuramente, servirão de modelo para a planificação do acesso à Rede de Atenção à Saúde em todo o País. O objetivo é promover melhorias no atendimento às demandas de saúde da população

O Paraná participa do PlanificaSUS com foco na Linha do Cuidado ao Idoso e desenvolve o projeto-piloto junto à 4ª Regional de Saúde de Irati, abrangendo nove municípios da área e 100% dos profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde, Atenção Ambulatorial Especializada e gestão.

Na etapa que acontece nesta segunda e terça, os profissionais recebem capacitação técnica específica para o atendimento ao idoso, com palestra do consultor do Conass e membro do Comitê Assessor em Saúde do Idoso do Ministério da Saúde, Edgar Nunes de Moraes.

Entre os temas, o especialista fala sobre a senescência, que é o processo natural de envelhecimento e que abrange as alterações pelas quais o corpo passa e que são decorrentes de processos fisiológicos e que não caracterizam doenças.

O médico geriatra destaca ainda os principais equívocos cometidos pelos sistemas de saúde e que podem comprometer a faixa etária acima dos 60 anos. “Frases como ‘a decadência é normal da idade; o idoso é um amontoado de doenças; o idoso é o responsável pelo gasto excessivo no sistema de saúde’ são totalmente falsas e acabam servindo como justificativa a serviços públicos não organizados”, destaca. “Temos que reverter estes posicionamentos com novas respostas sociais, deliberadas às necessidades de saúde da população idoso, capazes de manter ou recuperar sua autonomia e independência, com qualidade, resolutividade e custo-eficácia”, afirmou Moraes.

A diretora de Atenção à Vigilância em Saúde da secretaria estadual, Maria Goretti David Lopes, explicou que este é o objetivo do Governo do Paraná com essa definição da linha de trabalho voltada ao cuidado ao idoso. “A população está envelhecendo. O Paraná terá 118 idosos a cada 100 crianças até o ano de 2040, e temos que nos preparar e antecipar ações de proteção e promoção da saúde desta faixa etária, com atendimento humanizado, qualificado e organizado em todos os municípios”.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: