Saúde ativa centro para enfrentamento do coronavírus

O Governo do Estado ativou oficialmente o Centro de Operações em Emergências (COE) com o objetivo de definir as estratégias e procedimentos para o enfrentamento da situação epidemiológica relacionada ao novo coronavírus. O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, assinou nesta segunda-feira (03) a resolução ativando o centro.

“Estamos em alerta para a situação de emergência de saúde pública e de importância internacional e a finalidade da resolução é reduzir os potenciais impactos do evento, por meio de uma resposta coordenada, eficaz, eficiente e oportuna; seguimos assim orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde”, afirmou o secretário.

O COE reúne 16 áreas da Secretaria da Saúde e organiza, desde o dia 27 de janeiro, as ações e as informações sobre a situação de possíveis casos e notificações, no Estado, incluindo a avaliação de risco do evento, com base em critérios predefinidos pelo Ministério. O grupo é coordenado pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Paraná (CIEVS/PR).

O Ministério da Saúde descartou nesta segunda-feira o caso suspeito no Paraná, depois de investigação específica de amostra coletada. O caso já havia sido descartado clinicamente e nos primeiros exames feitos pelo Estado.

“Estamos em alerta no Paraná. Mas vale dizer que não temos nenhum caso do coronavírus. É preciso orientar a população sobre os cuidados. No entanto, não é motivo para pânico. O Estado está preparando para, se necessário, entrar em ação”, disse Beto Preto.

São considerados suspeitos e devem procurar as unidades de saúde pessoas com sintomatologia respiratória, incluindo febre, tosse e dificuldade para respirar, e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local (China) nos últimos 14 dias ou ter tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados da doença.

PREVENÇÃO

O Centro alerta para as informações de prevenção que, neste momento são as mesmas indicadas para outras síndromes respiratórias, como a Influenza. As principais medidas são evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar; usar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca ao espirrar e tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres pratos, copos ou garrafas.

O grupo técnico que forma o COE é composto por representantes das unidades e entidades abaixo citadas:

Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica

Coordenadoria de Organização de Rede de Cuidados da Saúde

Coordenadoria de Vigilância Ambiental

Coordenadoria de Promoção da Saúde

Coordenadoria de Vigilância Sanitária

Coordenação de Regulação do Acesso aos Serviços de Saúde

Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em saúde

Divisão de Vigilância de Doenças Transmissíveis

Gerência de Atenção Primária em Saúde

Gerência de Urgência e Emergência

Laboratório Central do Estado

Núcleo de Comunicação Social

Vigilância de Saúde do Trabalhador

Comissão de Avaliação, Auditoria e Monitoramento

Ouvidoria Geral da Saúde

Gabinete do Secretário de Estado da Saúde

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: