Saiba mais sobre os Aparelhos Autoligados

Os avanços tecnológicos na área da Ortodontia caminharam para um sistema de braquetes que permite ao ortodontista atingir resultados surpreendentes, não só nas crianças e adolescentes, mas também nos adultos. Se considerarmos que o osso do adulto não tem a mesma capacidade de remodelação que o osso da criança, podemos entender que o tratamento ortodôntico no adulto é mais limitado. O fato é que o desenvolvimento dos aparelhos autoligados (autoligantes), tem tornado possível o sonho de muitas pessoas em ter o sorriso dos sonhos.

A combinação do uso de braquetes autoligados e fios ortodônticos de alta tecnologia (Cuniti – cobre, níquel e titânio) é um dos grandes trunfos do tratamento. O baixo atrito dos braquetes, somado a grande diminuição das forças empregadas pelos arcos termoativos na fase inicial, propiciam alinhamento e nivelamento mais rápido e com menos desconforto ao paciente, proporcionando condição de entrarmos em uma fase de trabalho mais cedo.

Podemos dizer ainda, outras vantagens na utilização dessa tecnologia: a agilidade no tratamento, pela facilidade e rapidez da remoção e inserção dos arcos, e a diminuição no acúmulo da placa bacteriana, ao contrário dos elásticos tradicionais já conhecidos. Outra grande vantagem é o espaçamento maior entre as consultas, possíveis em algumas fases do tratamento, contribuindo para uma diminuição significativa no número de consultas realizadas ao longo do tratamento, otimizando a dinâmica de retornos, e diminuindo o número de visitas ao consultório.

Alguns conceitos diferentes, como a desoclusão temporária, (utilizando o levante de mordida), para eliminarmos as interferências dentárias, elásticos precoces no tratamento e o uso de potencializador dos stops, para conseguirmos espaços e minimizar a quantidade de extrações, são procedimentos importantes. No entanto, há casos onde a discrepância é muito grande, e nesses casos, a extração dentária é indicada, favorecendo a harmonização do perfil e da face.

Muitas vantagens podem ser percebidas pelos próprios pacientes, por exemplo:

  • Redução significativa da força exigida para movimentação dentária, gerando uma diminuição na sensibilidade dolorosa durante o tratamento;

  • Menor acúmulo de bactérias, já que o aparelho autoligado não utiliza as famosas borrachinhas;

  • Mais conforto, pois, as peças dos braquetes são mais delicadas, o que evita machucados e ferimentos na boca.

  • Menos idas ao dentista, principalmente no inicio do tratamento. As manutenções podem ser feitas em prazos maiores que 30 dias, o que gera economia de tempo aos pacientes (principalmente aos que estudam e/ou trabalham).

  • Pode evitar extrações de dentes permanentes, pois o aparelho possibilita uma maior expansão do arco.

Portanto, os braquetes autoligados são mais uma ferramenta de uso para o ortodontista, que deve tomar os devidos cuidados de uma avaliação cautelosa, além de um estudo detalhado caso a caso e apuração de informações indispensáveis para o sucesso do tratamento.

Compartilhe: