Rede estadual promove inclusão de alunos autistas

Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Colégio Estadual Manuel Borges Macedo no município de Rio Branco do Sul região metropolitana de Curitiba, na foto a professora Solange de Fátima Elias na sala de recursos com seus alunos. 27-04-16. Foto: Hedeson Alves

O número de estudantes autistas na rede estadual de ensino do Paraná tem crescido nos últimos anos. Em 2018, há 745 alunos diagnosticados com Transtorno do Espectro Autista, matriculados em 473 escolas, no Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2015, eram 492 alunos autistas matriculados; 588 em 2016 e 709 no ano passado. Nesta segunda-feira (02), Dia Mundial de Conscientização do Autismo, a Secretaria de Estado da Educação participa de audiência pública sobre políticas voltadas para este público.

De acordo com a chefe do Departamento de Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação, Siana Franco Bueno, este aumento não se reflete apenas como um desafio para a educação, mas para toda a sociedade. “Neste dia de conscientização é importante promover uma reflexão das práticas e políticas que cada segmento da sociedade tem adotado para receber pessoas autistas. Na Educação, buscamos a inclusão e a socialização dos alunos com este diagnóstico, além de oferecer apoio especial para aqueles com maior dificuldade de aprendizagem ou convivência”, afirma.

Os estudantes que estão matriculados na rede pública estadual são atendidos, quando necessário, por um professor de Apoio Educacional Especializado. O atendimento é concebido e organizado para suprir as necessidades de acesso ao currículo do ano em que estão matriculados. O estudante autista também pode frequentar a Sala de Recursos Multifuncionais da escola, no contraturno, cujo foco é complementar a escolarização, promovendo o desenvolvimento dos processos cognitivos.

De acordo com Siana, os professores de Apoio Educacional Especializado que atendem os alunos autistas têm pós-graduação em educação especial e formação continuada específica para auxiliar estudantes com este perfil. “No entanto, é importante ressaltar que o fato do estudante ter diagnóstico de autismo não o credencia ao professor de apoio. A devida comprovação da necessidade é feita por Estudo de Caso, que prima pela avaliação das intervenções pedagógicas e apoios já realizados, voltados à aprendizagem e de novas a proposições de estratégias de ação. O foco da secretaria é promover a inclusão e intensificar a socialização destes estudantes”, explica Siana.

ENCONTRO – Para discutir a importância das políticas públicas de inclusão de autistas na sociedade, a Secretaria de Estado da Educação participa nesta segunda-feira (02), na Assembleia Legislativa, da audiência pública “Políticas Públicas sobre Autismo no Paraná, que reunirá pais, professores, membros da sociedade civil e gestores da área pública para discutir questões referentes ao autismo. O evento tem início às 18h e é aberto ao público.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: