Recursos do FGTS devem ser usados em novos projetos habitacionais em Tapejara

O prefeito de Tapejara, Rodrigo de Oliveira Souza(Pezão) e o assessor do deputado estadual Tião Medeiros, Bohdan, visitou a sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em Curitiba, nesta quinta-feira (20). Ele foi atendido pelos assessores do gabinete Benedito Garcia e Jocely Loyola, com quem conversou acerca dos projetos habitacionais em andamento no município.

O prefeito de Tapejara, Rodrigo de Oliveira Souza(Pezão) e o assessor do deputado estadual Tião Medeiros, Bohdan, visitou a sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em Curitiba, nesta quinta-feira (20). Ele foi atendido pelos assessores do gabinete Benedito Garcia e Jocely Loyola, com quem conversou acerca dos projetos habitacionais em andamento no município.

Com o intuito de conhecer os programas habitacionais do governo estadual, o prefeito eleito de Tapejara, Rodrigo Koike, esteve na sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em Curitiba, no último dia 20 de outubro, onde foi atendido pelos assessores Jocely Loyola e Benedito Garcia. Na oportunidade ele conversou acerca da possibilidade de novas frentes de trabalho conjuntas entre os órgãos.

Nos últimos anos, a parceria entre o governo estadual, governo federal e a Prefeitura de Tapejara resultou na entrega de dois empreendimentos habitacionais, com 58 e 49 imóveis cada. O atendimento às 107 famílias envolveu investimentos de R$ 2,9 milhões em recursos dos três níveis do poder público.

A prioridade da nova gestão municipal, segundo Koike, será na ampliação do atendimento à população que ainda não possui casa própria. “Já estamos estudando a aquisição de uma área para a construção das casas e possuímos uma demanda identificada no município”, explica o futuro prefeito.

De acordo com a assessora Jocely, uma das alternativas é utilizar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para oferecer condições facilitadas de financiamento aos pretendentes. “Com a atuação integrada do Governo do Paraná, prefeitura e governo federal, é possível viabilizar a construção de casas com custo reduzido e de maneira mais ágil”, argumenta. A expectativa é de que os projetos tenham continuação assim que a nova gestão tomar posse.

Texto: Assessoria Cohapar / Foto: Carlos Goncalves / Cohapar

 

Compartilhe: