Radio de Cianorte passa por revitalização e ampliação

radio capital01

O dial em Cianorte terá novidades em breve. A Radio Capital passa por uma revitalização e até março sairá de AM para FM. A mudança melhorará a captação de sinal pelos ouvintes, terá mais qualidade de áudio, ampliará o alcance da estação, entre outras melhorias, inclusive na programação. “Já fizemos algumas mudanças, mas em breve teremos mais novidades”, comentou o gerente da radio, Tom Santos (foto), 47 anos, que desde junho do ano passado assumiu a implantação do novo projeto.

Até então a programação da radio era basicamente religiosa. Com a nova equipe foram implantadas melhorias, cuidados na qualidade e produção dos programas que vão ao ar, foi dada mais visibilidade à marca, diversificação na grade de programas musicais e informativos, contratação de profissionais especializados, entre outras situações.

O que acabou ampliando a audiência e faturamento. Além da interação ao vivo com os ouvintes. Entre as novidades planejadas para a radio FM está a estreia de novos programas, incluindo um dedicado para o jornalismo local. E também passará para uma sede nova no centro.

Mesmo com as novidades, a Radio Capital não abandona seu lado religioso. Permanecem programas com o padre Reginaldo Manzotti, o padre Aldinei Carreira e quadros com missa e orações.

Tom Santos tem experiência de quase 30 anos em radio, já trabalhando em rádios de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. A radio cianortense tem origem em 1981 como Radio Regional e em 1994 passou a ser Radio Capital. A radio é sintonizada atualmente em 990AM e tem o site da radio.

DIFERENÇA – O termo FM vem do inglês “Frequency Modulation” que significa “Modulação em Frequência”, que dá mais qualidade de áudio por ser transmitido em bandas diferentes de frequência. Já a AM é “Amplitude Modulation” (de “Modulação em Amplitude”), mantendo uma mesma frequência, o que nem sempre tem boa qualidade de som.

Assim como há a migração de TV analógica para digital, o governo brasileiro também trabalha na migração de frequência das rádios. Foi criado em um decreto em 2013 e em novembro passado a presidente Dilma Rousseff assinou autorizando a migração.

Texto e foto: Andye Iore

Compartilhe: