Prosolo alia capacitação e pesquisa para conservar o solo e a água

No Dia Nacional de Conservação do Solo, Sistema FAEP/SENAR-PR destaca a importância de retomar as boas práticas agrícolas para preservar nossos patrimônios naturais

Neste domingo, 15 de abril, comemora o Dia Nacional da Conservação do Solo, data que propõe uma reflexão sobre um dos principais patrimônios naturais do planeta, que muitas vezes não é utilizado corretamente, trazendo consequências duras aos proprietários de terra, como erosão, compactação e outros males que, além de ameaçar o meio ambiente, impactam a economia no meio rural.

Ao lado da água, o solo é a maior riqueza que pode existir em uma propriedade rural. Cuidar bem destes recursos, garante a continuidade da atividade agropecuária e o futuro das próximas gerações, já que se tratam de recursos finitos.

O Paraná já foi referência nacional em conservação e solos. O Estado, onde nasceu a técnica do plantio direto no Brasil, foi pioneiro em muitas práticas conservacionistas, mas com o passar dos anos, muito do que foi conquistado foi sendo esquecido. Novas e maiores máquinas agrícolas trouxeram facilidades, mas também dificultaram a continuidade de algumas boas-práticas. Sumiram os murunduns e o peso do equipamento trouxe o problema da compactação. Era preciso retomar o bom caminho.

Em 2016, o governo do Paraná, com apoio do Sistema FAEP/SENAR-PR, criou o Programa Integrado de Conservação de Solo e Água (Prosolo), que tem como objetivo principal recuperar as boas-práticas agrícolas no Estado, como plantio direto, adubação verde, terraceamento e outras técnicas chave para uma boa conservação.

Um dos pilares do programa é a capacitação de profissionais na área de conservação. Através do curso “Manejo de Solo e Água em Propriedades Rurais e Microbacias Hidrográficas”, profissionais da área agrícola são capacitados a elaborar projetos de recuperação e controle de solo e água em propriedades rurais. 

Atualmente estão em andamento seis turmas deste curso, que possui 300 horas de duração divididos em nove meses. As aulas são na modalidade de Ensino à Distância (EaD) e também presenciais, com práticas de campo. Desde que passou a ser oferecido, no final de 2016, já foram formados 211 profissionais, em 22 turmas.

CONHECIMENTO CIENTÍFICO

A pesquisa científica aplicada é outro pilar do Prosolo. O programa fomenta pesquisas na área de conservação e solo e água em sete mesorregiões do Estado. Em setembro de 2016 foi assinado um plano de aplicação financeira para a Rede Paranaense de Agropesquisa e Formação Aplicada, que reúne 19 instituições, como universidades (públicas e privadas) e centros de pesquisa. O aporte financeiro é de R$ 12 milhões, sendo que o SENAR-PR financiou metade deste montante.

Por meio de uma chamada pública da Fundação Araucária, foram aprovados 35 projetos de pesquisa de diversas regiões do Paraná, que envolvem 147 pesquisadores.

Fonte: Assessoria de Comunicação da FAEP

Compartilhe: