Primeiro lote da duplicação da PR-323 atrai 14 empresas

Quatorze empresas disputam a execução das obras de duplicação de 20,7 quilômetros da PR-323, entre Paiçandu e Doutor Camargo, no Noroeste do Estado. Os envelopes com as propostas de preços foram abertos nesta segunda-feira (25) pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). Com valor máximo de R$ 100 milhões, os descontos oferecidos passam de 25%. Curitiba, 25/06/2018. Foto: Divulgação SEIL

Quatorze empresas disputam a execução das obras de duplicação de 20,7 quilômetros da PR-323, entre Paiçandu e Doutor Camargo, no Noroeste do Estado. Os envelopes com as propostas de preços foram abertos nesta segunda-feira (25) pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). Com valor máximo de R$ 100 milhões, os descontos oferecidos passam de 25%.

A obra na PR-323 é uma das demandas mais antigas e importantes da região. A duplicação vai garantir mais segurança para a população que usa a estrada todos os dias e ainda agilizar o escoamento da produção da região Noroeste”, destaca a governadora Cida Borghetti.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion, este é o primeiro dos quatro trechos da rodovia que serão duplicados com recursos do Governo do Estado. “O grande número de participantes demonstra a saúde financeira do Paraná, que é fruto do ajuste fiscal. Hoje somos reconhecidos por pagar nossos prestadores de serviço em dia”, afirma.

IMPORTÂNCIA

Considerada uma das rodovias mais importantes do Paraná, a PR-323 faz a principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste e passa por várias cidades. A rodovia é um dos principais corredores da malha estadual, que suporta toda movimentação proveniente do polo têxtil do Estado, além de proporcionar ligação com países do Mercosul.

Atualmente, a estrada tem pista simples, poucas áreas de ultrapassagem e acessos complicados em trechos urbanos, fatores que resultam em um alto número de acidentes fatais.

PRAZOS 

Após a publicação da classificação das propostas de preços, é aberto prazo legal de cinco dias para eventuais recursos administrativos. Se houver contestações, há mais 5 dias para apresentação das contrarrazões. Esgotados os possíveis recursos, serão abertos os documentos de habilitação, quando a comissão de licitação verifica se os requisitos do edital foram atendidos.

O DER-PR planeja anunciar a vencedora da licitação ainda no segundo semestre deste ano. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos dentro de dois anos após a emissão da ordem de serviço.

CRONOGRAMA

Em 2018, o Governo do Estado planeja investir mais de R$ 240 milhões em obras e projetos para os 216 quilômetros entre Paiçandu e Francisco Alves. Além dos quatro lotes de obras de duplicação, estão programados editais para contratação de mais dois projetos de duplicação, além de estudos de viabilidade, terceiras faixas, marginais, ponte e viaduto.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: