Prefeitura presta assistência às famílias da Estrada da Bica

chuvas-maio

Desde a última sexta-feira (19), quando as chuvas se intensificaram em Cianorte e aumentaram a erosão existente na Estrada da Bica, que também atinge uma propriedade particular, a prefeitura vem trabalhando por meio dos seus profissionais da Defesa Civil, da Engenharia e de outros setores, no sentido de oferecer o apoio necessário às três famílias que habitavam o local e que precisaram desocupar suas casas às pressas para não serem engolidas pela cratera de cerca de 20 mil metros quadrados que se formou.

Passados os momentos de maior tensão, após as famílias terem encontrado um lar temporário e terem transferidos os móveis de uma das casas para outro espaço, o prefeito Bongiorno, juntamente a sua equipe, se reuniu na tarde de hoje (22), com dois dos moradores prejudicados, no intuito de oferecer auxílio para que voltem a ter uma moradia digna e segura. “Entendemos a situação difícil em que essas pessoas se encontram e estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance e o que a Lei nos permite para ajudá-las o quanto antes”, garantiu o prefeito.

O meio encontrado para os auxiliar foi o Programa ‘Aluguel Social’ que, assegurado por Lei Municipal, concederá o pagamento de até R$ 500 de aluguel, pelo período máximo de um ano, até que se reestruturem. “Nós vivíamos daquela terra, plantávamos de tudo por lá e agora não temos mais nada. Sendo assim, esta será uma grande ajuda para nós, assim como tudo que o pessoal da Prefeitura tem feito até agora”, disse um dos atingidos, Daniel Linares.

CAUSAS – Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento, Nelson Magron Junior, as causas do aumento da cratera, que havia se formado inicialmente em março do ano passado, foram os rompimentos das curvas de nível no terreno particular que fica acima da propriedade prejudicada e a enxurrada. “Por hora não podemos tomar nenhuma atitude para resolver a situação, por necessitar das análises dos órgãos competentes. Da outra vez não foi possível fazer a recuperação, devido às nascentes que se formaram no local. Agora, a erosão tomou outra direção, ou seja, estamos lidando com um cenário diferente”, alega.

Magron frisa que tanto os moradores, quanto o órgão municipal tiveram prejuízos com o acontecimento. “Eles, por perderem seus terrenos particulares, e nós por ficarmos sem a estrada rural”, disse. A via de acesso para aqueles que precisam chegar às proximidades do espaço tem sido a Estrada Rodeio ou a PR-082.

Texto: Ascom PMC / Foto: Anderson Theodoro

Compartilhe: