• folhadecianorte@gmail.com

Fale com a Folha

44 3018-2015


17 de outubro de 2017

2:52

Polícia Civil tem melhorias e ampliação em Cianorte

Publicado em 18 de janeiro de 2016

adao12A Polícia Civil melhorou sua estrutura e apresentou bons resultados em Cianorte em 2015. O delegado Adão Wagner Loureiro Rodrigues (foto) chegou há um ano com desafio de trabalhar numa estrutura deficitária e com uma cadeia superlotada com capacidade para 46 presos, mas abrigando três vezes isso.

O único dos cinco assassinatos de 2015 não desvendado ainda aconteceu em 3 de abril, com um homem de 35 anos morto a tiros num bar no Jardim Santa Mônica. Há duas linhas de investigação. A vítima tinha passagem policial e muitos desafetos, o que dificulta o trabalho porque abre um leque muito grande de suspeitos. Em 2014 foram oito homicídios.

Além das estatísticas e resultados das ações policiais, também foi anunciada a chegada de mais um delegado adjunto e a inauguração da Delegacia da Mulher que já está pronta. Esse é um dos setores com mais registros de ocorrências na cidade, com aproximadamente 400 casos em 2015.

Adão Wagner faz um balanço de sua atuação na coluna Entrevista Especial:

FOLHA DE CIANORTE – Qual é o balanço da atuação da Polícia Civil em Cianorte em 2015?
ADÃO WAGNER – É importante ressaltar o relacionamento que temos com a Polícia Militar em Cianorte. A atuação acontece bem em parceria e conjunto com a Polícia Militar. E isso facilita tanto as ações investigativas da Polícia Civil, quanto as de preventivo da Polícia Militar. E isso mostrou um resultado que passamos (veja box abaixo) e com a diminuição dos crimes e alto índice de solução dos casos.

Quais são os crimes com maior volume em Cianorte?
O que mais preocupa a polícia são os crimes violentos contra a vida. Diminuir os casos de homicídios acho que a é a meta de toda delegacia. E acho que tivemos um resultado muito importante e positivo. Já tivemos um índice relativamente baixo em 2014,com oito assassinatos. E em 2015 tivemos a grata surpresa de termos somente cinco homicídios em Cianorte. Desses cinco, nós solucionamos quatro deles. Foi bem importante solucionar esses casos e prender os autores.

O maior volume dos crimes em Cianorte está relacionado às drogas. E isso não é uma questão só da polícia. Como o senhor tem lidado com isso?
Temos direcionado muito a atuação dos policiais contra o tráfico de drogas porque sabemos que isso resulta em outros crimes. Isso contra o patrimônio, crimes violentos como roubos e tentativas de homicídios. Alguns desses casos por disputa por ponto de tráfico. E isso também está a parceria com a Polícia Militar no combate ao tráfico. Já prendemos muitos traficantes, temos investigações em trâmite e teremos mais prisões.

Vocês fazem bate-grade com frequência. Qual a dificuldade de trabalhar numa delegacia com cadeia superlotada?
Temos uma situação que é crônica no Paraná. Aqui em Cianorte temos em torno de 150 detentos num setor que não é cadeia. É uma carceragem provisória. Deveria ser simplesmente usada pelo tempo de identificarmos e encaminharmos o preso até o sistema penitenciário. E isso não acontece. Temos presos condenados, provisórios aguardando sentença, tudo num lugar inadequado.  Por isso enfrentamos alguns problemas. Como a condição sanitária, o desperdício de água, gasto de energia elétrica, o preso não tem sistema ambulatorial, a questão de segurança, como tentativas de fuga.

adao13Nessas operações são encontradas telefone celular, droga, armas brancas. Por que é tão difícil evitar que isso entre na carceragem?
É um problema estrutural. Não temos um local isolado, estamos dentro da cidade. Temos um pátio que tem um acesso externo muito fácil. Às vezes as pessoas passam pela rua e arremessam esses materiais para dentro. Precisa ter um local adequado para fazer a revista dos visitantes. Constantemente fazemos flagrantes de pessoas tentando colocar drogas e telefones celulares para os detentos. Mas, infelizmente as pessoas continuam tentando fazer isso e às vezes conseguem passar.

Quando o senhor chegou em Cianorte falou que justamente a estrutura seria um desafio. O que já foi feito de melhoria?
Já conseguimos mais viaturas que ajuda na investigação. Hoje o maior problema na Polícia Civil é funcionário. Contamos com apoio do Ministério Público, da magistratura, dos políticos para adequar a nossa SubDivisão aos padrões de outras com a mesma media de habitantes que Cianorte. Já conseguimos a Delegacia da Mulher. Também recebemos aparelhos, computadores e até serviço de inteligência em Cianorte.

E o que está previsto de melhoria nesse setor?
Temos que construir alguns cartórios aqui. Mesmo que tenhamos escrivães aqui, não teremos locais para eles trabalharem. A prioridade é construir novas salas. E também estamos negociando com a prefeitura a construção de um estacionamento para facilitar o acesso do usuário e também para os nossos funcionários terem onde colocarem os carros.


FRASE – “
A Maria da Penha é a proteção das relações familiares. Também tem a mulher agredindo o homem, a mulher agredindo os filhos, os filhos agredindo os pais”.

DADOS DE 2015:
Homicídios – 5
Ladrões presos – 122
Traficantes presos em flagrante – 48
Casos de Maria da Penha – 400
Visitantes presos – 20

VEJA VIDEO COM DELEGADO:

 

Texto e fotos: Andye Iore

"Conteúdo protegido por direitos autorais. Cite crédito ao usar textos e fotos da Folha de Cianorte"

About the author /


Jornalista formado em 2002 pelas Faculdades Maringá, com especialização em Comunicação e Educação. Já foi correspondente regional da Gazeta do Povo, trabalhou no O Diário (de Maringá), rádio CBN Maringá, coordena o projeto cultural Zombilly, entre outros.

Jornal Folha Regional de Cianorte

Endereço: Av. Brasil, 1167, Cianorte - PR.

Telefone: (44) 3018-2015

Email: folhadecianorte@gmail.com

Diretor proprietário

Luiz Antônio Barbosa

Editor de conteúdo

Andye Iore.

Desenvolvido por Web 7 - Soluções digitais