Pintura: Como obter os melhores resultados

A arte de colorir uma superfície pode parecer uma simples tarefa, porém este serviço executado de forma incorreta não terá o resultado esperado, pode não durar o prazo desejado e ainda implicar em futuras dores de cabeça, como: manchas, mapeamento e descascamento. Recomendamos solicitar a ajuda de um pintor experiente para a execução deste serviço, juntamente com a supervisão de um engenheiro ou arquiteto para a garantia dos melhores resultados.

Porém se você é daqueles que gostam de botar a mão na massa, nós listamos alguns cuidados para a sua pintura sair como desejada. Vamos lá!

Existem 3 passos básicos a serem seguidos antes de iniciar uma pintura: preparação de superfície, nivelamento e acabamento. A tinta em si é feita na última etapa, e sua qualidade está diretamente ligada a uma boa preparação de superfície.

Antes da preparação vale a pena ressaltar que para superfícies com composição em cimento deve-se aguardar a cura de 28 dias antes de qualquer intervenção para a eliminação por completo de toda umidade e para que a pintura não seja danificada nem interfira na cura e acabe esfarelando o reboco por baixo da película.

Sendo assim, após esta cura a preparação da superfície depende muito do estado em que ela se encontra e deve ser analisado se há a existência de sujeiras e imperfeições que devem ser tratadas imediatamente antes de iniciar os trabalhos:

Trincas: Em caso de trincas um engenheiro ou um arquiteto deve ser consultado para a avaliação e definir se é uma trinca estrutural ou apenas uma fissura estética antes da mesma ser mascarada. Em caso de fissuras o tratamento deve ser feito com tapa-trinca para as mais profundas e com massa PVA (parte interna) ou massa acrílica (parte externa) para as mais rasas;

Imperfeições: Em madeira utilizar massa específica para a função. Em alvenaria, se as mesmas forem profundas, corrija com a massa mais indicada e aguarde a cura completa. Se forem rasas utilizar as massas PVA ou acrílica;

Partes soltas ou sem aderência: Em caso de reboco fraco e poroso lixe a superfície, remova o pó e aplique fundo preparador. Já em caso de a pintura anterior estar se desprendendo, realize o mesmo tratamento, porém utilize uma espátula e uma escova de aço antes de lixar;

Infiltração e umidade: Eliminar a causa e deixar secar;

Mofo: Caso a infiltração tenha provocado mofo, a superfície deve ser higienizada com água sanitária pura, ou cloro, deixar agir por 1 hora, enxaguar e deixe secar completamente;

Pó e poeira de lixamentos anteriores: devem ser removidos com escova de pelos, lavar com água e deixar secar. Dependendo da situação este tratamento também pode ser feito com pano umedecido em solvente;

Gordura e graxa: Lave com água e detergente ou solução desengraxante e deixe secar. Dependendo da situação este tratamento também pode ser feito com pano umedecido em água raz.

Após a preparação, o nivelamento deve ser iniciado, e em vias de regra utilizamos para superfícies em metal lixamento, primer e tinta. Para madeira lixamento, seladora, lixamento novamente, outra demão de seladora e em seguida tinta ou verniz.

Para superfícies de gesso primeiramente usamos produto especifico para gesso, diferentemente de paredes novas em reboco onde utilizamos seladores, e em seguida o procedimento é similar para os dois com massa corrida PVA para ambientes internos e massa acrílica para ambientes externos, de alta manutenção e úmidos. Sempre seguindo as recomendações de quantidade e de espaçamento de tempo entre demãos fornecidas pelo fabricante. Geralmente aplicamos duas demãos de massa corrida e entre as mesmas é feito um lixamento para eliminar possíveis rebarbas. Após a última demão deve ser feito o lixamento final que dará a cara do acabamento. Para isto use uma lâmpada para que você enxergue todas as imperfeições e corrija com a lixa. Após o lixamento elimine o pó com vassoura de pelos macios e/ou aspirador de pó.

A fase de acabamento que inclui a pintura em si é a finalização de todo processo de preparação da superfície. Utilize fitas adesivas, jornais e lonas para proteger pisos, móveis e demais partes que possam sofrer respingos de pintura.

Ao iniciar a pintura, comece pelos cantos e bordas utilizando trincha ou pincel e em seguida pinte as superfícies com rolo de lã e pelo curto. Atualmente existem rolos anti-respingos, que fazem menos sujeira e garantem um acabamento impecável da tinta. Após iniciar a pintura não interrompa até acabar a demão por completo para garantir uma aparência bonita e uniforme. Siga as orientações do fabricante quanto a quantidade e prazo entre demãos e diluição.

Dê preferência para realizar a pintura em horários com bastante luz natural. Evite pintar em dias com alta umidade relativa do ar e com temperaturas muito altas ou muito baixas. E nunca, em hipótese alguma, pinte uma superfície externa no sereno, debaixo de chuva ou com previsão de chuva nas primeiras horas de secagem.

Caso isso aconteça, não passe outra demão de tinta imediatamente após o incidente. Se houve manchas pode ter ocorrido a extração de solúveis e a característica da tinta pode ser sido alterada. Então nas próximas 24 horas procure um profissional ou empresa especializada para decidir a melhor maneira de proceder, pois cada caso e/ou fabricante possui um procedimento específico para que o prejuízo seja mínimo.

Compartilhe: