Período quente e chuvoso exige mais cuidados no combate ao Aedes aegypti

dengue01Na maior parte do país, a chegada do calor e da umidade vem acompanhada de preocupações. Isto porque, a combinação destes dois fatores gera as condições ideais para a proliferação do Aedes aegypti, que é o transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. Em Cianorte, não é diferente e a Secretaria Municipal de Saúde está mobilizada no combate ao mosquito e alerta a população para que reforce os cuidados em prol da eliminação de possíveis criadouros.
“No período quente e chuvoso os locais propícios para a criação do Aedes aegypti se multiplicam, por isso a atenção aos recipientes que podem acumular água, seja nas residências, estabelecimentos comerciais ou terrenos, deve ser redobrada. Assim, pedimos aos cianortenses que façam a inspeção, pelo menos uma vez por semana, visto que o ciclo de desenvolvimento do mosquito, do ovo a fase adulta, leva de sete a dez dias”, alerta a supervisora do Programa Municipal de Combate à Dengue, Vera Lúcia Fusisawa.
De acordo com os dados do último Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 17 e 19 de outubro, a atual condição climática já apresenta efeito sobre o número de focos do mosquito, pois quando comparado ao anterior, o índice subiu de 0,1% para 0,2%. “Quando a temperatura sobe, a velocidade de desenvolvimento do mosquito também aumenta, por isso não podemos ser negligentes”, salienta Vera.
Entre as ações da Secretaria Municipal de Saúde para erradicar o mosquito, bem como as doenças transmitidas por ele, destacam-se as visitas dos agentes aos imóveis, a contratação de mão de obra para aplicação do UBV Costal (inseticida), estratégias junto ao Comitê Municipal de Combate à Dengue, palestras para a população nas Unidades Básicas, capacitação dos médicos, atividades educativas e investimentos em repelentes e diagnóstico.
“É fundamental que todos tenham a consciência de que a dengue, zika e chikungunya são doenças que levam a complicações graves e até a morte. A única forma de evitá-las, e impedir que processos epidêmicos se instalem, é combatendo o mosquito transmissor e, para isso, cada pessoa tem um papel decisivo”, destaca a chefe da Divisão de Prevenção em Saúde, Heloisa Dantas.
Em caso de suspeita de contaminação, o ideal é procurar orientação médica na UBS de referência (a mais próxima da residência) ou na UPA. “Todas as unidades estão capacitadas para a realização do teste rápido para diagnóstico da dengue, que apresenta o resultado em poucos minutos, bem como para efetuar o protocolo para zika e chikungunya”, afirma Heloisa.

Texto e foto: Assessoria PMC

Compartilhe: