Paraná investe em treinamento e aumenta número de emprego

Agência do Trabalhador. Curitiba, 16/01/2015. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

No Brasil, no ano passado, 508.189 pessoas conseguiram um emprego pelas Agências do Trabalhador. Destes, 107.978 foram nas agências do Paraná, o que representa mais de 21% do total.

Pelo segundo ano seguido o Paraná ficou em primeiro lugar no ranking que avalia o Programa de Intermediação de Mão de Obra. Os dados são do Ministério do Trabalho e refletem o desempenho dos estados em 2017.

No Brasil, no ano passado, 508.189 pessoas conseguiram um emprego pelas Agências do Trabalhador. Destes, 107.978 foram nas agências do Paraná, o que representa mais de 21% do total.
Em segundo lugar na lista vem São Paulo, com 74.178, representando 14% do valor nacional.

O Paraná registrou um aumento no número de colocados em 2017, como explica o secretário estadual da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Júnior. “Além de mantermos o primeiro lugar nacional, conseguimos aumentar o número de colocados em 72%. Ano passado foram 78 mil colocados nas agências do Estado. Este ano, são quase 108 mil”, afirmou.

Para conseguir melhorar ainda mais os números da Intermediação de Mão de Obra, que é responsável pela abertura de vagas nas agências e o encaminhamento do trabalhador, o Departamento do Trabalho da Secretaria investiu em capacitação.

Em 2017, quase mil servidores, que atuam nas agências, foram treinados.

Foi um trabalho intenso mas que trouxe resultado. Muitas vezes faltava um detalhe, uma finalização adequada para que a vaga encontrasse o trabalhador certo. Mas nós conseguimos aumentar os percentuais de aproveitamento e mantivemos o destaque nacional”, explicou Angela Carstens, coordenadora da Intermediação de Mão de Obra.

Esse resultado demonstra todo o esforço que a equipe da Secretaria tem feito e também reflete as boas políticas públicas adotadas pelo governo Beto Richa, decisões acertadas que possibilitaram uma retomada de desenvolvimento antecipado em relação ao resto do país”, afirmou Artagão.

AEN/PR

Compartilhe: