Paraná debate com Japão a polícia comunitária

07-11-2016 Visita da Comitiva JICA ao QCGA Polícia Militar do Paraná recebeu ontem (7) peritos da Polícia de Tóquio, que cumprirão agenda de visitas e palestras em Curitiba durante o mês de novembro para conhecer as atividades relativas à polícia comunitária desenvolvidas pela PM. Nos últimos anos, a doutrina de polícia comunitária tem sido aplicada nas ações preventivas de segurança pública da Polícia Militar do Paraná. A vinda dos peritos da Polícia de Tóquio, atuantes na JICA, Hisami Ohashi e Yoshiyuki Nakatani, tem como objetivo a troca de experiências sobre procedimentos de planejamento, estratégia e execução de ações de segurança pública comunitárias, além de conhecer boas práticas da corporação.

A iniciativa é uma parceria da Polícia Militar do Paraná, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e a Japan International Cooperation Agency (JICA). Os japoneses foram recebidos pelo comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato, junto com o chefe da 5ª Seção do Estado Maior e Coordenador de Polícia Comunitária, tenente-coronel Vanderley Rothenburg. À tarde, o grupo esteve com secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, e o secretário da Justiça, Trabalho e Direito Humanos, Artagão Junior.

CRIANÇAS E ADOLESCENTES – “Todas as unidades da PM são incentivadas a realizarem ações de cunho social, visando uma aproximação com a comunidade, com foco nas crianças e adolescentes”, disse o coronel Tortato. Para o tenente-coronel Vanderley Rothenburg, é importante o estreitamento de laços com o Japão, por meio do sistema Koban e da Jica. “Toda a equipe de Polícia Comunitária do Paraná está pautada e a filosofia adotada pela nossa corporação segue os princípios da doutrina japonesa. Inclusive um policial militar nosso foi até o Japão recentemente para conhecer as atividades praticadas. Ainda temos muito o que aprimorar, mas estamos no caminho certo”, afirmou.

EXCELÊNCIA – Hisami Ohashi afirmou que o primeiro objetivo é fazer com que a experiência de polícia comunitária seja difundida em todos os estados brasileiros e, se possível, que o nível de excelência das atividades sociais das organizações policiais do Brasil possa servir como base para difundir essa filosofia aos demais países da América da Sul. “Essa é uma meta particular minha e da Senasp”, afirmou ele.

Acompanhados por oficiais integrantes da Coordenação de Polícia Comunitária da PM, os peritos participaram de uma palestra com o chefe de Planejamento da PMPR, tenente-coronel Valdir Tedeschi. O policial perito Yoshiyuki Nakatani, que está no Paraná pela primeira vez, agradeceu a recepção dos militares estaduais e se interessou pelo modelo organizacional da corporação. “Após participarmos da palestra pude conhecer melhor como é o trabalho da Polícia Militar e vou levar as atividades comunitárias que são praticadas aqui para o Japão”, disse ele

AVANÇADAS – Luciano Ramos Ribeiro, analista de políticas sociais do Ministério da Justiça, e que atua nas questões de Polícia Comunitária na Senasp, aponta que o Paraná é um dos estados brasileiros que possuem ações avançadas nessa doutrina, inclusive com o envolvimento de outros órgãos públicos. “A vinda de peritos japoneses serve para disseminar a política comunitária e fortalecer as atividades em conjunto com a Senasp e a Jica. O foco do trabalho é o cidadão, atuar de forma preventiva e trazer uma maior sensação de segurança, mudando a imagem repressiva que as pessoas têm da polícia”, afirmou ele. “O Paraná é um estado estratégico e que pode se tornar um polo disseminador não somente no Brasil, mas na América Latina”, ressaltou Ribeiro.

Texto e foto: AE-PR

 

Compartilhe: