O Gol do Brasil

No silêncio da manhã de sexta, nem os pássaros ousaram a levantar voo. A cidade completamente vazia, grupos animados aqui e acolá, tudo planejado antecipadamente, carros na garagem e todos com os olhos grudados na televisão. Este cenário representa muito bem o código cívico do brasileiro. Todos se unem atrás de um objetivo, até algumas pessoas que não apreciam o futebol, torcem por dentro para que a vitória, trazida pelos pés de jogadores que saíram do meio do povo brasileiro esteja estampada nas telas da televisão. Quanta torcida pelo meu Brasil! Torcida legítima, verdadeira, respeitosa e cívica, vindo o entusiasmo de dentro dos corações brasileiros. Em tempos de futebol o povo brasileiro é único e incomparável a qualquer outra nação, consegue até raspar o último dinheirinho da poupança para ir à Rússia para ver a bola se movimentar pelos gramados do hemisfério norte. Basta um jogador brasileiro chegar perto do goleiro do adversário que todos se levantam nervosos, empurrando para frente o seu time amado e a gritaria no estádio alimenta o ego dos jogadores que se sentem recompensados mesmo sem ter feito o gol, mesmo que a bola se perdeu para direita ou para esquerda e o entusiasmo retorna, com a vontade firme de vencer.

Este é o meu Brasil! Completamente irmanado um a um, brasileiros se dando as mãos, com o peito inflado buscando a vitória e colocam na mão de onze homens a esperança de ser feliz, na espera ansiosa da vitória! Ora, quem não deseja ser feliz, mesmo que seja em momentos fugazes? Entre milhares de torcedores brasileiros que se unem empurrando seu time para a vitória, não vejo os mesmos milhares de brasileiros empurrando o nosso Brasil para frente! Desde a década de 50, nosso Brasil não apresentou tamanha situação de desesperança que grassa entre o povo brasileiro. O poder político financeiro se agregou em mãos políticas ardilosas que mentem, disfarçam, surrupiam, carregam malas de dinheiro bem em frente ao nosso nariz e nós o que fazemos? Não temos a mesma liderança e a mesma capacidade de reunir o povo em milhares de grupos para proteger nosso Brasil, empurrar os ladrões da Nação para baixo. Por que? Não nos convém a política? Temos medo de retaliação? Cada um com seus problemas? Não gosto disto, mas vibra com o futebol? Onde foi parar nossa liderança, o nosso civismo, nosso amor pela Pátria? Esta geração não foi treinada nas escolas e nem na família para amar o seu Brasil. Vejo o meu país retalhado, a Justiça que era nossa segurança, se desfazendo em interesses pessoais. Não consigo entender porque toda esta energia do esporte não consegue ser transferida com civismo para o coração do brasileiro… Fim dos tempos!

Izaura Varella

Compartilhe: