No Centro Cívico, Avenida Goiás recebe faixa de pedestres elevada

pedestre02A partir dessa quarta-feira (29), quem passar pelo cruzamento da Avenida Goiás com a Praça da República, no Centro Cívico Edno Guimarães, notará um cenário diferente. Isto porque, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, iniciou as obras de construção de uma faixa de pedestres elevada. O objetivo é proporcionar mais segurança ao local que, não raramente, é ponto de acidentes, principalmente nos horários de pico, entre as 7h e as 9h; das 11h às 14h e das 17h às 20h.

“A intenção é priorizar a travessia dos pedestres, no mesmo nível da calçada, fazendo com que os motoristas reduzam a velocidade e deem a preferência. Isso facilita a conexão do Paço Municipal com diversos outros importantes órgãos, como o Fórum, a OAB, a Arearc, a Unidade de Saúde Extensão e os Correios, por exemplo”, destaca a assessora especial de trânsito, Jennifer Cadan Kühl. Por conta da obra, o trânsito ficará impedido, nas duas vias da avenida, até a sexta-feira (1º).

Somente em 2017, essa é a terceira faixa elevada a ser construída na cidade. As outras duas estão localizadas no cruzamento da Avenida Goiás com a Rua Constituição e no da Avenida Pernambuco com a Rua Saquarema. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento, Nelson Magron Júnior, a intenção é terminar o ano com mais uma. “Estamos finalizando os estudos de necessidade e viabilidade. Tudo indica que o local que irá receber a benfeitoria seja a Avenida Souza Naves, na altura da interseção com a Rua Porto Seguro”, conta.

Para o prefeito Bongiorno, a implementação de soluções em engenharia do trânsito é essencial para que o progresso do município seja acompanho da funcionalidade. “Cianorte está atingindo números de cidade grande e, desde 2013, a administração pública tem empenhado esforços em planejamentos e ações estratégicas para a melhoria do tráfego e da mobilidade, principalmente nas áreas de movimentação intensa, com novas regulamentações, instalação de sinalizações, modernização das estruturas, entre outros”, citou. (Texto e fotos: ASCOM PMC)

Compartilhe: