Natação da UMPM/UEM tem bons resultados

 logo-natacaoA equipe de natação da União Metropolitana Paradesportiva de Maringá (UMPM) e da UEM ficou bem colocada na Etapa Rio/Sul do Circuito Brasil Caixa Loterias, realizada de 22 a 25 de maio, no Rio de Janeiro. As gêmeas Débora e Bia Borges Carneiro participaram na classe S14, que envolve pessoas com deficiência intelectual, e disputaram duas únicas provas (100m Peito e 200m Livre), obtendo primeiro e segundo lugar na classificação nas duas provas. A paratleta Débora bateu oficialmente o recorde brasileiro na prova 100m Peito, homologado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Já a paratleta Thayla Fernanda Fitz Becalhi concorreu na classe S02, destinada a pessoas com maior comprometimento motor. Thayla, que ficou tetraplégica após um acidente automobilístico, conquistou duas medalhas de prata e uma de bronze nas provas disputadas.

Débora e Beatriz alcançaram o índice exigido para as próximas três etapas nacionais, duas em São Paulo e uma em Fortaleza. Essa é a primeira vez que a UMPM/UEM consegue se classificar para as etapas nacionais do Circuito Brasil Caixa Loterias. Segundo o diretor esportivo da UMPM e professor da UEM, Décio Roberto Calegari, a equipe está bem estruturada e com treinamentos diários e intensivos, os resultados obtidos são reflexo de todo o esforço e dedicação de todas. Para ele, a classificação e os resultados obtidos são de grande importância para o marco da natação paralímpica em Maringá e no Paraná.

Para o presidente da UMPM, Paulo Reinaldo Rossi, o principal desafio agora é a manutenção dessa equipe. “Precisamos de recursos e apoio para que essas atletas caminhem em busca de seus sonhos e conquistas. Com isso, contamos com o apoio e divulgação dos meios de comunicação e imprensa para conseguirmos recursos e incentivo à prática dessas meninas”.

A coordenadora esportiva e técnica de natação da UMPM, Camila Senhorini Medeiros, acredita que Débora e Beatriz têm chances reais de ranking nas etapas nacionais. “A motivação é a principal aliada no momento da disputa. A partir de agora, o treino é o momento de preparação e fortalecimento, para baixarem ainda mais os seus tempo na piscina. Nossos atletas são mesmo especiais, têm inspiração, dedicação e coragem para competir e vencer desafios”.

Texto: ASC/UEM

Compartilhe: