Municípios se habilitam para programas de alimentação saudável

Treze cidades do Paraná já se habilitaram para obter recursos dos programas Restaurantes Populares e Cozinhas Comunitárias, executados pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. O objetivo do Governo do Estado com as duas iniciativas é dar condições para que os municípios ofereçam alimentação saudável a baixo custo para a população.

Nesta sexta-feira (24), a governadora Cida Borghetti foi conhecer uma das unidades beneficiadas pela parceria entre Estado e município. Acompanhada do prefeito Rafael Greca, ela esteve no restaurante Rui Barbosa, instalado na área central de Curitiba.

“É um programa essencial para dar mais qualidade de vida, principalmente às pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social”, disse. “Temos sido parceiros dos municípios para que estimulem a alimentação saudável e atendam a quem mais precisa das políticas públicas assistenciais”, acrescentou.

De acordo com o prefeito Rafael Greca, a parceria com o Governo do Estado também permite a manutenção de 10 armazéns da família, que são mercados com preços reduzidos para beneficiários dos programas sociais, além dos cinco restaurantes populares. “Esta parceria faz com que Curitiba seja a cidade mais avançada em segurança alimentar do Brasil”, disse.

O restaurante popular Rui Barbosa serve cerca de 1,8 mil refeições diariamente, ao custo de R$ 2. O objetivo é estimular os hábitos alimentares saudáveis utilizando os produtos da agricultura familiar nas refeições que são vendidas a preços acessíveis.

PROGRAMA

O Restaurantes Populares é voltado para cidades com população acima de 80 mil habitantes, e o limite de recursos é de R$ 3,5 milhões por município, divididos entre R$ 2,5 milhões para construção, R$ 800 mil para aquisição de equipamentos e R$ 200 mil para aquisição de materiais de custeio.

Curitiba é um dos municípios contemplados com o projeto.

Na Capital foi implantado o Restaurante Popular do Capanema, com repasses do Estado e modernizado os restaurantes da CIC, Sítio Cercado, Pinheirinho e Rui Barbosa.

Toledo, Paranavaí, Cascavel, Umuarama, Maringá e Colombo já apresentaram o Plano de Trabalho, e aguardam o encerramento do período eleitoral para dar continuidade ao projeto.

COZINHAS COMUNITÁRIAS

As cozinhas comunitárias podem ser implementadas nos municípios de pequeno e médio porte. Até agora, seis municípios foram beneficiados com o apoio da Secretaria da Agricultura e do Desan (Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional): Bandeirantes (R$ 135.419,09), Cornélio Procópio (133.908,14), Jacarezinho (R$ 150 mil), Joaquim Távora (R$ 144.016,97), Ibaiti (148.963,32) e Mato Rico (R$ 82.459,71).

Como nos restaurantes populares, as cozinhas comunitárias também oferecem refeições saudáveis a preços acessíveis para o mesmo público beneficiário e ainda para a merenda escolar. O limite financeiro do apoio para compra de material permanente e de consumo é de R$ 150 mil por município.

ADESÃO

Para participar dos programas, o município precisa apresentar Plano de Trabalho, regularidade fiscal, encaminhar os projetos completos da unidade a ser construída, como projeto arquitetônico, estrutural, elétrico, hidráulico, água pluvial, esgoto, cobertura, sondagem, orçamentos, além de apresentar licenças do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária.

“A adesão é voluntária e o município interessado fica responsável pela manutenção da equipe que vai trabalhar nos restaurantes e os demais custos”, disse a chefe do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional, Valéria Nitsche.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: