“Monstro de Andradina” confessa em Cianorte duplo assassinato

delegado andradina3O duplo homicídio chocou e revoltou a população de Andradina, interior paulista, no último dia 12. Duas meninas – uma de 13 e outra de 14 anos – foram estupradas, depois mortas e tiveram seus corpos jogados em um rio. O suspeito da barbárie, até então conhecido apenas como Borracheiro, teria vindo para Cianorte. A Folha de Cianorte foi contatada na manhã do último sábado (26) por um andradinense procurando se informar a respeito de um homem que havia tentado suicídio por envenenamento em um hotel da cidade.

O jornal foi então em busca de informações. Esta pessoa, E.F.S., havia sido atendida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para a Santa Casa, onde passou o resto da noite – de sexta-feira para sábado – na (Unidade de Terapia Intensiva) UTI.

Em conversa com a equipe que o atendia o homem acabou revelando sua origem e quando questionado sobre o que lhe teria motivado a tentativa de homicídio, disse que vinha sofrendo com sérios problemas na família.

De posse dessas informações, a Folha colocou em seu site texto dando a identidade e as características físicas do homem – 1,80 de altura, 39 anos e negro. Este texto foi compartilhado em rede social na Internet e imediatamente repercutiu em Andradina. Isto motivou a vinda do delegado Tadeu Coelho Carvalho (foto), da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) até Cianorte.

No último domingo o delegado paulista colheu o depoimento em que o suspeito confessou a autoria do duplo homicídio. Tudo foi gravado e filmado. A esposa do delegado, que é investigadora da Delegacia da Mulher, Nadir Coelho Carvalho, publicou em seu blog o resultado do depoimento dado pelo acusado.

Coincidência ou não, logo depois da publicação na Internet, uma turba de andradinenses invadiu a casa em que a mulher do borracheiro mora com dois filhos pequenos. A coisa só não foi pior por que a Polícia Militar chegou rápido ao local e evitou o saque e a destruição da residência. Está provado que a esposa não tem qualquer envolvimento na barbárie que o seu marido confessou ter cometido. Quando Borracheiro for levado para o estado paulista, ele não será levado para Andradina por medida de segurança, mas sim para um presídio da região. O detido já teria outras passagens pela polícia e a população de Andradina ainda está chocada com o crime tendo feito uma passeata no último sábado na cidade.

Texto: Paulo Tertulino / Foto: Folha da Região (Araçatuba)

Compartilhe: