Modelo do Consórcio Paraná Saúde é apresentado para Santa Catarina

O modelo de sucesso de funcionamento dos consórcios do Paraná foi apresentado para o governo de Santa Catarina nesta quinta-feira (1º). A possibilidade de compra de medicamentos em alta escala, barateando em 40% os produtos, foram alguns dos pontos abordados pelo diretor executivo do Consórcio Saúde Paraná, Carlos Roberto Kalckmann Setti. Há 20 anos, o Estado tem sido referência em ações compartilhadas na área, com a efetiva participação dos 398 municípios que integram o consórcio, além do governo federal.

O convite para o encontro técnico aconteceu em uma reunião do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) neste ano. A expertise paranaense vai balizar a criação de um formato técnico para Santa Catarina. “Numa agenda do Cosud, apresentamos o nosso modelo para os estados participantes. Então, Santa Catarina nos convidou para levarmos esta estratégia para eles. Eles têm interesse em montar um consórcio e o objetivo da nossa visita é transferir conhecimento e experiência”, explicou Setti.

A compra centralizada, além de baratear o custo, também facilita e otimiza a distribuição, garantido assim amplo alcance de medicamentos para a população. “Além de centralizar recursos em apenas um ente, há ganhos na escala e economicidade substancial. Quanto mais você compra, mas barato fica. As indústrias e os distribuidores também dão uma preferência para que o fornecimento seja assim”, destacou o diretor executivo do Consórcio Paraná Saúde.

Como demonstração da eficiência do trabalho dos consórcios, o Governo do Paraná liberou nesta quarta-feira (31) R$ 154 milhões, em recursos do Estado e do governo federal, para a compra de medicamentos nos próximos dois anos. A previsão é que para o próximo ano cerca de R$ 60 milhões sejam aportados ao consórcio, dobrando os valores já direcionados em 2019.

Para o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, o interesse de Santa Catarina nos bons exemplos do Paraná reafirma a qualidade da gestão em saúde. “É muito importante a política tripartipe dos consórcios. E quando um Estado vizinho tem interesse em adotar o nosso modelo, isso mostra a qualidade do serviço e a nossa referência em práticas eficientes de saúde pública. E podemos ainda melhorar e aperfeiçoar o modelo”.

Beto Preto também destacou as vantagens do consórcio, especialmente pelo custo e pela facilidade de regionalização da distribuição do medicamento. “O consórcio é uma grande e eficiente forma de compra. Todos ganham, é mais barato, o poder público paga menos pelo remédio e oferta atendimento de saúde para perto da casa das pessoas”.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: