Medalhista paraolímpico apresenta projetos no PR

clodoaldoCom 14 medalhas de natação no currículo paralímpico e cinco participações olímpicas, o atleta Clodoaldo Silva, que cumpriu a missão de acender a pira olímpica na cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro no ano passado, apresentou hoje (3), na Secretaria do Esporte e Turismo do Paraná, o projeto social “Clodoaldo Silva na Minha Escola” e proposta de academias ao ar livre, destinadas principalmente para pessoas com deficiência física e idosos.

O atleta foi recebido pelo secretário do Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, que ouviu o relato de sua história e demonstrou interesse em viabilizar parcerias. Clodoaldo contou que começou em 1996 em Natal (Rio Grande do Norte) e depois, em 2005, foi morar no Rio de Janeiro. Começou na natação como reabilitação, e enfrentou preconceitos e conseguiu uma carreira vitoriosa. “Vi que após a aposentadoria no Rio de Janeiro poderia contribuir muito mais. Com o projeto ‘Cloadoaldo Silva na Minha Escola’ posso passar mensagem de otimismo e superação para crianças e adolescentes com deficiências. É a grata missão de incentivar a surgir grandes atletas”, disse Clodoaldo.

Para Douglas Fabrício, a trajetória de Clodoaldo Silva deve ser sempre exposta para demonstrar como o esporte é um grande mecanismo de inclusão. O secretário recordou quando presenciou a participação do atleta nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. “Tivemos a visita ilustre de um para-atleta que é referência no mundo. Ele que venceu todas as lutas em sua vida agora tem este belo trabalho de incentivar jovens a praticar esporte. Ele é nosso convidado a participar do Parajaps e outros eventos da Secretaria do Esporte e Turismo. Vamos fazer grandes parcerias”, disse Douglas.

ACADEMIAS FUNCIONAIS AO AR LIVRE – Em parceria com o empresário Victor Ferraz, Clodoaldo tem o projeto que desenvolve academias ao ar livre que são destinadas preferencialmente para pessoas com deficiência física e idosas. Fruto de um trabalho de MBA, o projeto começou em 2002 e resultou inicialmente em 24 unidades no Rio de Janeiro, tendo o apoio do governo daquele estado.

Texto e foto: AE PR

Compartilhe: