Legislativo discute ações para adolescentes infratores

delegado-maio

A sessão de ontem (9) foi marcada pela discussão sobre Segurança Pública. O delegado chefe da 21ª Subdivisão de Polícia Civil, de Cianorte, Adão Wagner Loureiro Rodrigues, ocupou a tribuna livre da Casa de Leis e expôs características do trabalho do órgão, principalmente no que se refere a crimes cometidos por adolescentes. A reunião terminou com a definição de propostas, como a cobrança por aberturas de vagas no Centro Socioeducativo de Maringá – ao qual o município está vinculado – e a construção de uma unidade em Cianorte. “Não se pode prender o adolescente e trancá-lo em uma cela, como um adulto. Por isso, precisamos pensar em ações para, além de orientar aqueles que estão em formação, aplicar medidas socioeducativas legais”, comentou.

O jornal Folha de Cianorte chamou a atenção para o problema numa reportagem no dia 2 de maio que repercutiu na imprensa local dias depois.

Rodrigues explicou que a legislação que garante os direitos dos adolescentes não permite a prisão de menores de 18 anos e que a ação para com esse público deve ser diferenciada.

Aproveitando o momento, o delegado expôs resultados do trabalho da Polícia Civil no ano passado, de modo geral. Segundo ele, a ação do órgão priorizou combater tráfico de drogas – principalmente em virtude da proximidade com a fronteira – e crimes violentos. “No total, 22 assaltantes de bancos foram presos na região e 124 prisões foram efetuadas por roubo”, disse. Durante a reunião, os parlamentares, na presença do delegado, elencaram ações relacionadas a adolescentes infratores necessárias para garantir a qualidade da segurança pública em Cianorte.

Entre os documentos que serão encaminhados pelo Poder Legislativo, em relação ao assunto, estão ofícios ao Centro Socioeducativo (Cense) de Maringá , cobrando a apresentação de critérios para abertura de vagas a adolescentes cianortenses ; à Secretaria de Estado de Segurança Pública, para a construção de um Cense em Cianorte; ao Ministério Público, questionando e cobrando a atuação do órgão sobre as necessárias internações de menores; e ao deputado Jonas Guimarães, para que gestion e junto ao Governo do Estado para as conquistas reivindicadas.

O presidente da Câmara, vereador Dadá, ressaltou a importância do tema no momento atual. “Tenho certeza de que essa discussão de hoje renderá muitos frutos, em nome da segurança de todos os cianortenses, que nos cobram, enquanto seus representantes, sobre as ações necessárias tanto à educação quanto à punição de infratores”, disse.

Com informações e foto de Cleber Gonçalves/ CV

 

Compartilhe: