Inventário Florestal no Paraná vai orientar políticas públicas

A publicação com os resultados do Inventário Florestal Nacional no Paraná foi lançada nesta segunda-feira (19) em cerimônia no Palácio Iguaçu. O estudo traz o levantamento quantitativo e qualitativo dos recursos florestais no Estado e deve servir como base para o planejamento e a elaboração de políticas públicas voltadas para conservação e uso sustentável das florestas.
Segundo dados do relatório, a cobertura florestal do Paraná é de aproximadamente 6,91 milhões de hectares, o que equivale a 34,7% do território. Deste total, 5,84 milhões de hectares são de florestas naturais, o que corresponde a 29,3% da área do Estado.
O levantamento realizado de 2013 a 2017 considera o diâmetro, a altura, as espécies presentes nos locais avaliados, além do estado fitossanitário das árvores.

QUALIDADE
De acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti, a pesquisa traz grande contribuição para os órgãos ambientais do Estado, principalmente ao identificar as áreas prioritárias para conservação e recuperação de ecossistemas degradados.
Ele também mencionou a qualidade do estudo. “A elaboração do inventário no Paraná contou com a participação de servidores comprometidos, preocupados em deixar esse trabalho como herança para a sociedade”, afirmou Bonetti.
Para a coordenadora de Biodiversidade e Florestas da Secretaria do Meio Ambiente, Sueli Naomi Ota, os dados servem também para o desenvolvimento científico, tecnológico e inovação nas mais diversas áreas do conhecimento. “Com esse diagnóstico florestal surge uma nova perspectiva para o Paraná, pois além da área florestal diretamente relacionada ao inventário, estas informações propiciam material para desenvolver o conhecimento sobre toda a biodiversidade do Estado”, disse.

COMUNIDADE
Além do mapeamento florestal, foram feiras entrevistas com moradores em um raio de quatro quilômetros dos pontos de amostra, com o objetivo de saber como as pessoas percebem e usam os recursos florestais, ou seja, trazendo também informações sobre os aspectos socioambientais das florestas.
“Hoje não temos como dissociar as florestas das pessoas e esta relação foi contemplada nos estudos do inventário que traz, além do mapeamento florestal, a importância das florestas para a vida das pessoas, aspecto socioambiental que agrega o trabalho”, afirmou o diretor de Pesquisa e Informações do Serviço Florestal Brasileiro, Joberto Veloso de Freitas, que apresentou os resultados do inventário no Paraná.

METODOLOGIA
O Inventário Florestal Nacional no Paraná – IFN/PR foi dividido em três fases para facilitar o levantamento em todo o Estado. As amostras botânicas coletadas foram digitalizadas e entregues ao herbário do Museu Botânico Municipal (MBM) de Curitiba.
A Fase 1 ocorreu nas mesoregiões Sudeste, Centro-Sul e Centro Ocidental paranaense, onde foram levantadas 152 Unidades Amostrais de Registro (UARs). A Fase 2 se concentrou nas mesorregiões Oeste, Noroeste, Norte e Norte Pioneiro Paranaense, verificando 237 UARs. Outras 161Unidades Amostrais de Registro foram levantadas na Fase 3, que teve como foco as mesorregiões Sudoeste, Centro Oriental e a Região Metropolitana de Curitiba.

PRESENÇAS
Além da Secretaria de Estado Meio Ambiente, o evento contou com a participação de representantes de outras instituições envolvidas no trabalho, entre elas o Ministério do Meio Ambiente, Embrapa Florestas, Serviço Florestal Brasileiro, Universidade Federal do Paraná e Instituto de Florestas do Paraná. Também esteve presente o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, George Hiraiwa.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: