Intenção de compra para o Dia dos Pais é maior em 2020

Sondagem da Fecomércio PR mostra que 66,2% dos filhos irão presentear os pais no próximo domingo

Aumentou o número de filhos que deverão presentear os pais este ano. Segundo sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), a intenção de compra dos paranaenses para o próximo Dia dos Pais é de 66,2% e é maior do que a registrada no ano passado, que era de 62,3%.

Entre os paranaenses que não vão presentear no próximo domingo, o principal motivo, para 61,6%, é o pai falecido ou ausente. Outros 8,0% disseram não comemorar a data com presentes e 17,6% estão com problemas financeiros ou desempregados.

A sondagem também revela que para 59,0% dos entrevistados a pandemia impactou na decisão de compra para o Dia dos Pais, principalmente no valor do presente (60,9%).

De acordo com a Fecomércio PR, acredita-se que o distanciamento dos últimos meses será compensado com algum tipo de presente, ainda que com valores mais modestos. Os dados mostram que o tíquete médio baixou de R$116,89 em 2019 para R$111,47 este ano, sendo que 55,0% dos entrevistados deverão gastar no máximo R$100,00. Os filhos que planejam gastar entre R$101,00 e R$150,00 somam 25,9%; os que deverão comprar um presente na faixa de R$151,00 e R$200,00 correspondem a 13,2% e os que estão dispostos a gastar mais de R$200,00 são apenas 5,9%.

TIPOS DE PRESENTE

Sapatos e roupas serão as escolhas de 56,5% dos filhos. Para os pais mais vaidosos, 13,2% pretendem comprar um perfume ou cosmético. As cestas matinais correspondem a 6,5% das intenções de compra; os eletrônicos a 5,3%; máquinas ou ferramentas a 4,1%; livros e afins a 2,6%; artigos de pesca, 2,1% e viagens a 0,3%.

LOCAL DAS COMPRAS

O comércio tradicional receberá 52,4% do movimento de compras para o Dia dos Pais, sendo 42,1% nas lojas do centro da cidade e 10,3% nas lojas de bairro. As compras pela internet serão a opção para 24,7% dos paranaenses. Os shoppings, por conta das restrições trazidas pela pandemia e o receio de muitos consumidores em circular em locais mais fechados, foram citados por apenas 7,1% dos entrevistados.

FORMAS DE PAGAMENTO

O pagamento à vista será a preferência dos consumidores, somando 45,5% das menções, entre o uso do cartão de débito e dinheiro. As compras para o vencimento do cartão de crédito devem corresponder a 30,9% e o parcelamento no cartão de crédito a 21,8%.

PESQUISA DE COMPRA

Ainda que a internet não seja o local de compra mais utilizado, ela é o principal canal de pesquisa de preços para 60,8% dos consumidores. Outros 19,5% pesquisam os valores pessoalmente e 19,7% não fazem verificação antecipada de preços.

Fonte: Karla Santin – Núcleo de Comunicação e Marketing do Fecomércio

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse