Indústria do Papel planeja investir no Paraná

Papel

Cerca de 70% dos empresários do setor de Papel, Celulose, Embalagens e Artefatos planejam investir nos próximos três anos no Paraná. A maior parte dos investimentos será direcionada à melhoria do processo produtivo e à modernização e manutenção do parque fabril. As indústrias pretendem investir também na qualificação de mão de obra e ampliação das estruturas. O dado consta da segunda edição do Panorama Setorial da Indústria do Papel, Celulose, Embalagens e Artefatos, estudo conduzido pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), em parceria com o Sindicato das Indústrias de Papel, Celulose, Pasta de Madeira para Papel, Papelão e de Artefatos de Papel e Papelão do Paraná (Sinpacel).

O estudo reúne dados de fontes oficiais como do IBGE, Ministério do Trabalho, MDIC entre outros, e também informações repassadas pelos próprios empresários do setor por meio de questionários. Os empresários ouvidos revelam-se otimistas em relação às perspectivas futuras do setor e enxergam espaço para expansão, razão pela qual planejam investimentos.

O Panorama Setorial traz um diagnóstico completo do setor e servirá de base para subsidiar decisões estratégicas, como planos de investimentos, bem como para pautar políticas públicas voltadas à área, como infraestrutura, tributação e crédito. O estudo revela que o Paraná reúne 470 indústrias que atuam em quatro segmentos: papel, celulose, embalagens e artefatos de papel (como guardanapo e papel higiênico por exemplo).

São 22 indústrias do segmento celulose; 45 do segmento papel e as demais de embalagens e artefatos. As 470 indústrias respondem por 12% do valor da produção nacional, correspondendo a R$ 8,3 bilhões. Juntas, estas indústrias geram 22 mil empregos, que representam mais de R$ 423 milhões em salários.  No Brasil, durante o ano de 2015, o setor foi responsável por uma produção industrial de R$ 69 bilhões, além da manutenção de 117,3 mil empregos e o equivalente a R$ 2,9 bilhões em salários pagos.

Além dos investimentos previstos, conforme aponta o Panorama Setorial, a indústria do Papel, Celulose, Embalagens e Artefatos vem investindo fortemente no Paraná nos últimos anos. A maior parte das indústrias está concentrada na região Centro-Sul.

Segunda edição

Segundo o presidente do Sinpacel, Rui Gerson Brandt, o Panorama Setorial é uma consolidação do trabalho realizado na primeira edição, e foi o sucesso do primeiro estudo, pioneiro no Paraná, que impulsionou o desenvolvimento de uma edição revisada e melhorada.

“No total 108 indústrias responderam ao questionário, correspondendo a um aumento de 22% em relação a edição anterior. Além disso, esta nova publicação apresenta uma evolução: a visão do empresário sobre o mercado, resultado de uma pesquisa qualitativa, realizada a partir de entrevistas pessoais com líderes de indústrias paranaenses de diferentes segmentos e portes. Um conteúdo riquíssimo que agrega ainda valor ao documento por trazer informações acerca de visão de futuro e mercado”, salienta Brandt.

O presidente da Fiep, Edson Campagnolo, acredita que esta publicação servirá principalmente para unir ainda mais a indústria de celulose, papel, embalagens e artefatos de papel do Paraná. União que é essencial para que as empresas alcancem um ambiente de negócios favorável e possam contribuir  com uma maior  geração de empregos e riquezas para a sociedade paranaense e brasileira.

Texto: Ascom FIEP / Foto:Gilson Abreu

Compartilhe: