IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO PARA A SAÚDE ORAL DO BEBÊ

Que o leite materno é um alimento completo e fundamental para a saúde física e mental da criança, muita gente já sabe. Mas que a amamentação também pode contribuir para a correta formação do rosto da criança, e impacta diretamente na saúde bucal do bebê nem todos sabem. Diante de muitos mitos em torno do tema saúde bucal em bebês e crianças, vamos esclarecer algumas dúvidas em busca de conseguir um sorriso saudável às nossas crianças.

Sabemos que o aleitamento materno é fundamental para o desenvolvimento da criança, e do ponto de vista odontológico, da articulação temporomandibular (ATM), dos maxilares e da mordida da criança. Quando o bebê suga o peito da mãe, realiza entre 2000 e 3500 movimentos de mandíbula. Já com o uso da mamadeira, ocorrem apenas de 1500 a 2000 movimentos.

A força muscular que o bebê necessita para extrair o leite materno, mantendo um fluxo de leite satisfatório, é bem maior do que quando usa a mamadeira. Para piorar o caso, infelizmente, algumas mães por falta de tempo ou desconhecimento, aumentam o furo da mamadeira, diminuindo o processo de sucção do bebê.

Não só a amamentação, mas a respiração, a mastigação e a deglutição são estimulações funcionais para o crescimento da face. Uma criança que é amamentada exclusivamente no peito, sem uso de chupeta e mamadeira durante os seis primeiros meses de vida e, ao ser introduzida a alimentação complementar, usa apenas o copo para tomar líquidos, tem o estímulo ideal para o crescimento da face.

A amamentação natural também exercita os músculos da língua, pelo movimento de ordenha que a criança faz para extrair o leite. Este movimento auxilia o fortalecimento adequado deste órgão. Está comprovado que crianças que são amamentadas exclusivamente no peito por seis meses, mas que depois começam a usar a mamadeira, tem o posicionamento da língua prejudicado.

Com relação à língua ela deve ficar posicionada, nos momentos de repouso, encostada no céu da boca (palato). Entre crianças não amamentadas no peito, o posicionamento é entre as arcadas, o que ocasiona mau posicionamento dental, por exemplo, a mordida aberta, além de estimular a respiração oral.

Os prejuízos da respiração bucal vão além da falta de filtrar, umedecer e aquecer o ar que entra para os pulmões. Com a boca ressecada, o processo de cárie é favorecido, uma vez que a saliva protege a boca.

Outra questão importante são os dentes tortos. São vários fatores que podem entortar os dentes das crianças: uso de chupeta, mamadeiras e dedos, genética, respiração bucal, perdas precoces de dentes, entre outros.

Portanto, o aleitamento materno e a higiene oral, constituem pilares fundamentais para a promoção da saúde das crianças em todo o mundo, oferecendo vantagens não só para o bebê, como também para a mãe.

Colaboração: Dr. Wagner Destéfano

Cirurgião Dentista – CRO 10637

Compartilhe: