Handebol de Jussara jogará a Chave Ouro 2017

handebol-jussara

Oito equipes se encontraram para a disputa que definiu os campeões da Chave Prata do Campeonato Paranaense de Handebol Adulto no último final de semana, em Jussara. A competição da Liga de Handebol do Paraná valia vagas para a Chave Ouro em 2017.

A busca da vaga para a equipe masculina de Jussara teve início na noite de sábado (10), quando a torcida compareceu em massa no Ginásio de Esportes Anselmo Campesato para a disputa da semi-final contra a equipe de Saudade do Iguaçu, num jogo cheio de emoções e muito disputado, tanto que o primeiro tempo terminou empatado em 10 a 10.

No segundo tempo, o jogo continuou pegado, mas a equipe da casa, levados pela vibração da torcida, aproveitou as falhas do adversário e conseguiu abrir três bolas, Saudade buscou e encostou no placar, mas já não havia mais tempo para tirar a vitória por 22 a 21 dos jussarenses, que garantiram um feito inédito se classificando para a final do torneio.

A euforia tomou conta dos jogadores de Jussara que há três anos vinham em busca do título da competição. “Esse é um momento histórico para Jussara. O time vem três anos buscando o título estadual, no primeiro ficamos em 6º, no segundo em 7º, sempre faltava um pouco pra gente conseguir chegar e esse ano, graças a Deus, o grupo se uniu mais, conseguiu treinar melhor, concertamos os erros que a gente estava tendo no ano passado e com isso chegamos pela primeira vez a uma final do Paranaense”, comemorou o técnico-atleta, Anderson Jacomini Menezes, um dos destaques do jogo.

A partida final seria disputada contra a forte equipe de Corbélia/HCC/Econômica Móveis que sem perder sequer um confronto no estadual, garantiu a vaga na disputa do título depois de vencer por 33 a 28 a equipe da Prefeitura de Toledo/ATH/APEF.

FINAL – A grande final foi disputada na tarde de domingo (11), sendo que mais uma vez a torcida encheu a arquibancada do Ginásio de Esportes para ver os “meninos” em quadra. Como destacou Menezes, a cidade respira handebol e por isso trazer a final estadual para Jussara foi um modo de presentear a torcida que pouco vê a seleção da casa em atuação. “Aqui em Jussara é fora de série, por isso nós queríamos sediar a etapa final, sabíamos o quanto era importante pra Jussara estar prestigiando o nosso handebol, que eles só ouvem falar, uma vez que jogamos muito fora e quase não jogamos dentro de casa. Então, com a desistência de Rebouças para sediar, conseguimos trazer a competição pra cá e a torcida fez a festa junto com a gente”, enalteceu Menezes.

Antes mesmo das equipes entrarem em quadra, os atletas de ambos os lados sabiam que a partida seria muito disputados, já que os dois times já haviam se encontrado na fase de grupos terminando a partida empatada, tanto que o técnico do Corbélia, Silvio Gonçalves destacou a força da equipe de Jussara. “Acredito que a equipe que estiver mais focada, que se doar mais pro jogo, sem receio de fazer errado, é a que vai levar, não tem favorito. Jussara tem uma excelente equipe, mas nós também temos um grupo bom, bem coeso, dá pra jogar de igual pra igual”, frisou Gonçalves.

Os anfitriões iniciaram a partida jogando forte, mas o time corbeliano aproveitou-se de alguns erros para tirar vantagem. Empurrados pela torcida, a equipe de Jussara chegou a reagir, mas não conseguiu retirar a vantagem do adversário que venceu por 31 a 28. “Nosso time jogou bem, mas tivemos alguns erros de finalização e isso prejudicou nossa equipe e influenciou no resultado do jogo. A equipe de Corbélia está de parabéns, eles assim como nós mereciam ser campeões, só de chegar na final já foi muito importante pra gente”, ressaltou o técnico-atleta do Jussara, Anderson Menezes, acrescentando: “Essa medalha de prata é como se fosse de ouro, porque não é fácil chegar em uma final, nosso time sentiu o jogo, mais foi muito importante jogar ao lado da torcida, porque eles influenciam e apoiam a todo momento, tanto é que mesmo atrás no placar o jogo inteiro a torcida em momento algum deixou de nos apoiar”.

SUPERAÇÃO – Para o treinador campeão, Silvio Gonçalves, o título representa o ápice do ciclo da equipe na temporada 2016, que mesmo com dificuldades conseguiu se superar. “Levantar o troféu de campeão estadual representa o esforço conjunto do grupo. Sabíamos que tínhamos condições, precisávamos buscar. Acredito que o fator principal que determinou o resultado do jogo foi que nós tivemos um grupo com mais movimentação e trocas, enquanto os jogadores deles não rodaram, cansaram, e não conseguiram recuperar e por isso a vitória”, analisa Gonçalves, ressaltando: “O título é para coroar todo o trabalho que vem sendo feito, com o respeito que os meus atletas têm pela modalidade, o gosto de estar aqui e o prazer de jogar handebol”, finalizou.

Texto: Juliano Secolo com Assessoria LHPR / Foto: Chioti Yamao

Compartilhe: