Greve estadual da Polícia Civil não afeta Cianorte

cadeiaA greve realizada pela Polícia Civil hoje em todo o Paraná não teve efeito durante o dia em Cianorte. Nenhuma pessoa procurou a 51ª Delegacia Regional Polícia de Cianorte para reclamar de alguma ocorrência até o final da tarde.
O único caso acontecido na delegacia foi o flagrante de uma visitante que tentou passar droga para seu marido que está preso. A mulher foi revistada e os policiais flagraram uma pequena quantidade de maconha escondida numa banana. Hoje é feriado em Cianorte pelo dia da padroeira Nossa Senhora de Fátima.

Apesar de não ter tido nenhum registro de ocorrência de morador, a orientação passada pela 16ª Subdivisão de Polícia Civil de Campo Mourão é que Cianorte também seguisse a determinação do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol) para a greve de 24 horas e atendesse somente casos de emergência. Haverá uma assembleia amanhã às 18h30, na sede do sindicato em Curitiba para analisar a paralisação de hoje e a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado.

MORTE – O motivo da greve estadual foi a morte de um agente policial no último domingo (11) durante uma fuga de presos em Colombo. O sindicato pede melhores condições de trabalho aos policiais.
Enquanto isso, as secretarias de Segurança Pública e da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos fizeram uma reunião ontem para analisar ações para esvaziar as delegacias de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e do litoral paranaense. A estimativa do sindicato é que seria preciso a remoção de aproximadamente 10 mil presos das cadeias do Paraná.
O Sinclapol alerta que o Paraná seria o estado com maior população carcerária do Brasil, com quase 30 mil detentos, sendo que em torno de 11 mil estariam em condições sub-humanas. O que causaria tantas rebeliões, fugas e deixaria a vida dos policiais em risco.

Texto: Andye Iore, com informações do Sinclapol e da AE-PR / Foto ilustrativa

 

Compartilhe: