Greve dos bancários deixa agências cheias em Cianorte

loterica-greve

Quem precisou fazer algum serviço bancário ontem (12) em Cianorte precisou ter muita paciência. A semana começou com as agências bancárias com grande movimento e filas para os caixas eletrônicos devido à greve da categoria. O movimento também foi grande nas lotéricas (foto) e Correios que também fazem serviços como recebimento de contas, saque e depósito.

Numa lotérica no centro da cidade a fila saia da agência e chegava até a calçada atrapalhando o fluxo de pedestres. “Não tem outro jeito. Tenho que ficar na fila para poder pagar a conta em dia sem juros e não atrasar”, lamentou a dona de casa Sofia Valadares, que estimava passar mais de uma hora para ser atendida.

A greve dos bancários é nacional e já dura uma semana. Mas Cianorte aderiu somente na última sexta-feira (9). Nenhum tipo de serviço interno é realizado, somente os que são possíveis de serem feitos nos caixas eletrônicos. Os funcionários se revezam em grupos dentro e fora das agências na mobilização. Eles ficam sentados em rodas conversando, enquanto os clientes aguardam na fila. “Estamos acompanhando a mobilização nacional e as negociações em São Paulo”, comenta o presidente do Sindicato dos Bancários de Cianorte, Antônio Henrique Sobrinho, sobre a reunião que acontecerá hoje às 14h em São Paulo.

A estimativa do setor é que aproximadamente 8 mil agências estejam fechadas no Brasil. Na região cianortense são 25 agencias, somando 220 trabalhadores.

NEGOCIAÇÃO – A greve nacional é a resposta da categoria à proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentada no último dia 29 de agosto, de reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A oferta não cobre a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano e representa perdas de 2,8% para os bancários.

RECLAMAÇÃO – O Procon-PR alerta que nenhum prejuízo pode ser imposto aos consumidores por causa da greve dos bancários. O órgão de defesa de consumidor orienta ainda que se alguém tiver qualquer prejuízo, deve formalizar reclamação no Procon, podendo também utilizar a plataforma www.consumidor.gov.br para reclamar.

Texto e foto: Andye Iore

Compartilhe: