Governadora apresenta avanços tecnológicos na educação


A governadora Cida Borghetti apresentou ao ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, em audiência besta terça-feira, em Brasília, as iniciativas do Governo do Paraná de uso de soluções de tecnologia da informação para o suporte às atividades de educação na rede pública. “O Paraná está atento às inovações para aprimorar gestão da educação e o processo de ensino, de forma a que as escolas e o aprendizado sejam atraentes e motivem os nossos alunos”, afirmou a governadora.

Foram apresentados a ferramenta de business intelligence (BI) voltada à gestão na área; os projetos de melhoria e ampliação do parque tecnológico nas escolas e as soluções para facilitar e modernizar os processos dentro das escolas. O ministro elogiou a iniciativa do Paraná, de vincular a matrícula na rede estadual à vacina. Segundo ele, a lei, deve ser utilizada como exemplo para proposta de redação ao Conselho Nacional de Educação.

Desenvolvida pela Celepar, o BI permite que a equipe de governo acompanhe em tempo real as ações executadas e em andamento, além de agrupar informações estratégicas, facilitando o processo de decisão dos gestores. Para o uso na área da educação, o BI foi desenvolvido em parceria pela Celepar e a Secretaria da Educação. “Com informações qualificadas e atualizadas os gestores têm condição de tomar as decisões de forma rápida e assertiva. Além disso, é uma oportunidade de conhecer melhor o perfil dos alunos e dos locais e assim promover ações efetivas”, disse a governadora.

EXCELÊNCIA

No âmbito da educação, o BI foca na excelência das escolas, não só na estrutura física, mas também pedagógica. A tecnologia reúne um amplo banco de dados que permite, em questão de minutos, consultar informações estruturais de cada escola do Paraná. Antes deste sistema, eram necessários até 30 dias para coletar estes dados. As informações disponíveis vão facilitar o trabalho de planejamento do governo, dando condições colocar em prática um plano de ação mais eficiente em multissetorial para atender as necessidades de cada escola da rede estadual.

CONEXÃO DAS ESCOLAS

Para completar as ações de inovação e tecnologia, a governadora também apresentou o Projeto Conectados e Conectados 2.0, que têm como objetivo melhorar o parque tecnológico das escolas paranaenses. Em 2016, o Governo iniciou o programa Conectados, para melhorar o parque tecnológico das escolas paranaenses. Foram selecionadas 70 escolas para receber kits que previam a utilização pedagógica de tablets com alunos.

Com o sucesso desta iniciativa, foi lançado o programa Conectados 2.0, envolvendo 500 escolas que ofertam educação em tempo integral no turno único, escolas rurais, unidades que trabalham com salas de recursos multifuncionais e escolas que já incorporaram as tecnologias em seu dia a dia.

Cada escola escolheu, a partir de uma listagem, um tipo de kit tecnológico para ser integrado à unidade. Os professores passaram por cursos de capacitação e, ao longo de 2018, as escolas participantes do programa receberam seus kit tecnológicos. As unidades puderam escolher entre dez opções de conjuntos de equipamentos, entre eles câmera fotográfica, gravador de áudio, notebook, laptop, impressora 3D, roteador, equipamento para rede sem fio e projetor multimídia.

ALUNOS INOVADORES

Iniciativas de destaque já estão sendo desenvolvidas pelos alunos da rede estadual a partir dos novos equipamentos recebidos. É o caso dos estudantes do curso técnico em Informática do Colégio Estadual Cristóvão Colombo, do município de Jardim Alegre, no Vale do Ivaí, que desenvolveram o projeto Mão Amiga. Os estudantes projetaram e confeccionaram duas próteses em 3D que foram doadas para portadores da Síndrome de Brida Amniótica ou amputação.

A tecnologia também está facilitando o processo de aprendizagem de estudantes com deficiências, como é o caso do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP), de Londrina, que recebeu kits com impressora 3D para auxiliar os professores a elaborar materiais pedagógicos que facilitem o acesso ao currículo escolar a alunos cegos ou com baixa visão.

TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS

A Secretaria da Educação implementou uma série de soluções para facilitar e modernizar os processos dentro das escolas. O Registro de Classe Online (RCO), desenvolvido pela pasta, em parceria com a Celepar, é um exemplo disso.

Criado em 2017, ele permite que professores da rede estadual de ensino registrem a frequência dos estudantes, conteúdos e avaliações de forma online subsistindo o livro de registro de classe. O sistema possibilita também a análise de informações sobre desempenho de aprendizagem e evasão escolar da rede estadual.

O Sinalário Disciplinar em Libras, uma ferramenta de apoio para profissionais da educação, estudantes surdos, comunidade surda e interessados de um modo geral, também trouxe facilidades. O aplicativo é inédito no País e disponibiliza vídeos com termos e conteúdos disciplinares na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Centenas de vídeos já estão disponíveis nas 13 disciplinas de compõem o currículo do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

E outra parceria, desta vez com o Detran, também facilitou o acesso dos pais aos boletins escolares, que agora podem ser consultados e impressos nos totens do Detran. Desde julho de 2018, além de consultar e imprimir boletins, é possível conseguir declaração de matrículas, atualizar informações pessoais nos 282 totens de autoatendimentos do Detran em 172 municípios paranaenses. As melhorias também foram pensadas para facilitar a vida dos pais e alunos. Com a criação do aplicativo Escola Paraná, pais e alunos conseguem consultar, em um só lugar, informações como boletim, agenda, grade, eventos da escola.

Uma parceria entre a Secretaria de Estado da Educação e o Google permitiu que os 70 mil professores da rede estadual de ensino tivessem uma conta de e-mail personalizada da Google que possibilita acesso a vários serviços online para uso pedagógico.

No @escola o docente tem a possibilidade de utilizar um ambiente virtual de aprendizagem que permite o arquivamento das aulas, compartilhamento de materiais pedagógicos para alunos e colegas, desenvolver documentos online de maneira colaborativa, além de blogs e sites em uma nuvem com espaço ilimitado.

MINISTRO DA EDUCAÇÃO ELOGIA LEI QUE VINCULA MATRICULA À VACINA

A apresentação obrigatória da Carteira de Vacinação no ato da matrícula escolar, conforme determina a Lei nº 19.534, assinada pela governadora Cida Borghetti, em 4 de junho de 2018, foi destaque na audiência com o Ministro de Estado da Educação, Rossieli Soares da Silva. Segundo ele, a lei, de autoria do deputado estadual Tião Medeiros, deve ser utilizada como exemplo para proposta de redação ao Conselho Nacional de Educação.

“Será uma grande honra se esta lei se estender além do Paraná. Isso garantirá educação e saúde de qualidade às crianças de todo país. É nossa responsabilidade zelar por elas”, afirmou a governadora. Tanto instituições de ensino da rede pública quanto particular, que ofereçam educação infantil, ensino fundamental e ensino médio, devem solicitar o documento. “O Paraná sempre é referência. Baseado na experiência do estado, vamos nos inspirar ou até mesmo utilizar a mesma redação com os devidos ajustes necessários”, disse o ministro durante audiência.

Alunos com até dezoito anos devem apresentar o documento atualizado de acordo com o Calendário de Vacinação da Criança e o Calendário de Vacinação do Adolescente, disponibilizados pela Secretaria de Estado da Saúde e Ministério da Saúde. Somente será dispensado da vacinação obrigatória o aluno que apresentar atestado médico de contraindicação explícita da aplicação da vacina. A falta de apresentação da Carteira de Vacinação ou a constatação da falta de alguma das vacinas consideradas obrigatórias não impossibilitará a matrícula. A situação deverá ser regularizada em um prazo máximo de trinta dias, pelo responsável, sob pena de comunicação imediata ao Conselho Tutelar para providências

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: