Feirinha do Rolo atrai fãs de antiguidades em Cianorte

feira3

No domingo de manhã a Praça dos Picaretas, na avenida América, é ponto de encontro de famílias em Cianorte. O local apresenta uma pequena feira dos produtores, barracas de pasteis e ao lado há uma curiosa Feirinha do Rolo.

A feira de produtos usados fica do outro lado da avenida, ao lado do Paraguaizinho, não tem regras e nem um controle de qualidade. Há venda e troca de todo tipo de produto e cada um garante a procedência do que vende. Tem gente que trabalha recolhendo material reciclado durante a semana e outros que levam produtos de casa para vender. “Fazemos um troquinho. Dá para tirar para comprar a mistura em casa e até para a cervejinha”, brinca o vendedor Gomercindo José Silva, o “Ceará” (foto ao lado), 63 anos, que há dois anos participa da feira cianortense. Ele informa que trabalha como catador de material reciclado nas ruas durante a semana e que vai juntando os produtos em casa para vender na Feirinha do Rolo.

Há uma grande oferta de material. Desde um simples cabo até aparelhos de som. E os preços são mais variados ainda. Desde mixarias a R$ 1 até equipamentos por R$ 250. Também não há um padrão para apresentar o material para o público. Tem expositor que espalha os produtos no capô do carro, outro que coloca na garupa da bicicleta, em engradados e até no chão mesmo. “Eu me divirto procurando coisas aqui. Sempre acho alguma coisa interessante e barata que levo para casa”, comenta o mecânico Luis Antônio Camargo que todo domingo passeia com a filha pelo local e gosta de colecionar canecas e pequenas estátuas de animais.

A Feirinha do Rolo é uma boa opção para encontrar material de decoração para as casa. O que pode parecer uma sucata abandonada acaba virando um chique objeto vintage na decoração. Assim há máquina fotográfica, relógio antigo, rádio à pilha, óculos, entre outros. E tem até raridades em discos de vinil. “Eu gosto de coisa antiga”, anuncia o vendedor José Aparecido da Silva, 56 anos, que espalha alguns discos de vinil pela calçada e vende qualquer um por R$ 10.

OBRA
Revitalização da praça melhora opção de lazer

praca01O prefeito de Cianorte, Claudemir Bongiorno, anunciou no final do ano passado em entrevista ao jornal Folha de Cianorte a preocupação em reformar a praça Joaquim Alves Ferreira, a famosa Praça dos Picaretas, oferecendo um local mais agradável aos frequentadores.
As obras devem começar em breve e a reinauguração deve acontecer no começo de 2018. Depois, até o Paraguaizinho pode abrir aos domingos formando um centro de lazer e compras aproveitando o movimento do local.

A reforma da praça tem um custo de R$ 409,5 mil, sendo R$ 315,8 mil de uma emenda do deputado Jonas Guimarães e R$ 93,7 mil de contrapartida da prefeitura.
Está previsto no projeto instalar cobertura em parte da praça, nova pavimentação, instalação de banheiros, novos bancos, bicicletários e lixeiras.

Além de um projeto de paisagismo com iluminação e vegetação que embelezará o espaço.
A praça tem uma area de 2.102,70 m² e além da feirinha aos domingos, também é usada pela Associação dos Corretores Autônomos de Veículos de Cianorte (ACAVECI) e comerciantes autônomos em eventos ou feiras de salgados.

Praça tem opções de gastronomia

FEIRA – Uma opção bacana para as família é comprar produtos frescos para fazer o almoço do domingão.
Entre as hortaliças há maços de cebolinha e manjericão por apenas R$ 1 cada um, mais barato que em qualquer estabelecimento. Apesar de poucas bancas a variedade é grande em vegetais, raízes, grãos, ovos e até frangos vivos são vendidos.

LANCHE – Quem quiser comer um aperitivo antes do almoço tem duas barracas de pastéis e uma lanchonete. Além dos salgados feitos na hora também há a tradicional garapa geladinha.

feira4

Texto e fotos: Andye Iore / Folha de Cianorte
Arte projeto da praça: ASC PMC
Reportagem especial publicada no dia 2 de julho na versão impressa da Folha de Cianorte

Compartilhe: