Fé e emoção marcam encenação da Paixão de Cristo

teatro

O Ginásio de Esportes Tancredo Neves (Tancredão) em Cianorte ficou lotado na noite da última sexta-feira (14) para a apresentação do espetáculo “Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo”, encenado há mais de 20 anos pelo Grupo Teatral São Francisco de Assis, composto por mais de 120 voluntários.

A apresentação teve início por volta das 20 horas e retratou a vida de Jesus Cristo, com o roteiro baseado nos quatro Evangelhos Canônicos (Mateus, Marcos, Lucas e João) iniciando-se pela anunciação do Arcanjo Gabriel à Maria até a Ressurreição de Cristo, após sua condenação e crucificação.

Assim como ocorre há mais de 20 anos, desde que o grupo iniciou o trabalho de encenar a Paixão de Cristo, o roteiro contou com algumas modificações, com a diferença que neste ano foram cinco cenas novas e inéditas em Cianorte. Essa novidade levou ainda mais emoção ao público que prestigiou a apresentação.

Entre as novidades esteve a peregrinação de José e Maria, que já se encontrava grávida de Jesus, até Belém durante o recenseamento imposto pelo Império Romano; a tentação no deserto, na qual Jesus enfrenta o demônio após 40 dias de jejum; a cura do paralítico de Cafarnaum; e a destruição do templo.

Dentre as novas cenas deste ano, a mais inovadora e uma das que mais emocionaram o público foi a ressurreição da filha do sacerdote Jairo. Assim como descrevem os evangelhos, a cena contou com dois milagres, sendo realizada em dois locais simultaneamente: enquanto em cima do palco a filha do sacerdote Jairo sofria doente a beira da morte, seu pai mesmo não crendo que Jesus fosse o Messias procura por Cristo que ensinava a uma multidão, sendo que esta parte da cena ocorria no piso do ginásio de esportes.

Assim como retrata os evangelhos, enquanto Jesus seguia Jairo até sua casa, uma mulher que há 12 anos sofria de fluxo de sangue toca no manto de Cristo e se cura. Eis o primeiro milagre e após Jesus dizer a mulher que sua fé a havia curado, a notícia de que a Zilá, a filha de Jairo havia morrido, choca seu pai. Cristo o conforta e junto aos apóstolos seguem até a casa do sacerdote, onde Jesus diz a célebre “Menina, eu te ordeno, levanta-te!” e eis o segundo milagre com a criança ressuscitando.

A cena e a interpretação dos atores foi tão forte e impactante que todo o público aplaudiu e ovacionou a representação. Em outros momentos a mesma reação dos espectadores foi notada como na prisão, condenação, crucificação, e, principalmente na ressurreição, na qual Jesus sobre aos céus.

Henrique Ferreira, que há 11 anos interpreta Jesus, destaca que a apresentação emociona não apenas o público que assiste a apresentação, mas também os próprios atores. “Esse é um trabalho que a gente fica sonhando o ano inteiro com esse dia, onde pessoas como nós, que não são profissionais saem de suas casas e vem com o intuito de passar uma mensagem de Deus para todas as pessoas que aqui estão.”, afirma.

Já a coordenadora e diretora do Grupo, Margarida Jordão Volpato, destaca que “a gente fica tocado e é esse o nosso trabalho, levar a palavra de Deus através do Evangelho. E isso é uma benção, pois vemos a graça de Deus pairando sobre cada um aqui presente.

O Grupo também desenvolveu uma ação social, já que foi pedido ao público que doasse alimentos não perecíveis, sendo que tudo o que foi arrecadado foi repassado para os Vicentinos das cinco paróquias de Cianorte. O grupo agradece a todos que prestigiaram o espetáculo e que colaboraram com a ação social.

Texto: Juliano Secolo / Foto: Divulgação

Compartilhe: