Famílias terão 2.880 vagas para qualificação profissional

Secretária assina com prefeitos parceria para 2.880 vagas em curso de qualificação - Foto: Rogério Machado/SECS

Famílias em vulnerabilidade social de 40 municípios terão a oportunidade de se capacitar para melhorar a renda e a qualidade de vida. A secretária estadual da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, e os prefeitos assinaram nesta terça-feira (27) termo de compromisso para garantir a oferta de 2.880 vagas.

Os 40 municípios são prioritários do programa Família Paranaense por apresentarem menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e foram selecionados por necessitarem qualificação profissional. “Temos que capacitar a população que mais precisa de nosso apoio. Elencamos municípios em que havia desenvolvimento, mas faltava mão de obra qualificada”, disse Fernanda Richa.

A iniciativa faz parte do eixo Trabalho do programa, que prevê a oferta de cursos de capacitação e profissionalizantes como estratégia para tirar famílias da situação de risco e vulnerabilidade. Essa atividade é feita em parceria com a Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, que mantém 19 escritórios regionais e 216 agências do trabalhador.

Nossa estrutura vai dar apoio de acompanhamento, orientação e supervisão. O Paraná está no segundo lugar no ranking nacional de emprego. Temos que facilitar para o cidadão entrar no mercado de trabalho e levar dignidade para dentro da família”, afirmou Elcio Couto, diretor do Departamento do Trabalho, da Secretaria do Trabalho.

INVESTIMENTO – O investimento para levar a oportunidade de aumento de renda às famílias será de R$ 2,38 milhões. A ação envolve o trabalho direto dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), responsável pela seleção dos participantes.

A área do trabalho é a principal porta de saída da vulnerabilidade. A partir dos cursos as famílias devem estabelecer uma nova relação com o trabalho e ampliar a renda”, disse Fernanda Richa.

CONTEÚDO – Os cursos terão um módulo de “Formação Cidadã” e abordarão conteúdos como relações interpessoais, ética e qualidade no trabalho, prevenção e segurança no trabalho, etiqueta pessoal e profissional e características empreendedoras.

Nesses módulos, a pessoa aprende a valorizar a oportunidade, elevar a autoestima e se desenvolver e ter a condição de se manter no emprego”, disse a coordenadora do Família Paranaense, Letícia Reis.

As famílias que participarão dos cursos devem estar em acompanhamento familiar pelo programa e serão indicadas pelos técnicos da rede socioassistencial.

Os cursos são nas áreas de administração; construção e reparos; serviços domésticos; serviços pessoais (estética); e vestuário. Também são oferecidas atividades como almoxarife, gesseiro, cozinheiro, cuidador de idosos e de crianças, cabeleireiro e costureiro.

TRANQUILIDADE – Durante o curso, os participantes receberão lanche e material didático personalizado. Pelo acordo com as prefeituras, terão transporte para ir ao local do curso e cuidadores para crianças até 12 anos.

Muitas pessoas vão até à assistência social ou ao gabinete da prefeitura reclamar que precisam de trabalho e não possuem um curso profissionalizante”, afirmou Nilson Cardoso, prefeito de Mariluz. “Emprego é uma situação complicada nos municípios pequenos, porque as oportunidades são escassas”, acrescentou Jhone Junior Almeida, secretário de assistência social do município.

Marcos Antônio Voltarelli, prefeito de Alvorada do Sul, explicou que o município passa por uma fase boa na área de construção civil. “Esses cursos vêm no momento em que a nossa cidade precisa de qualificação, porque há muita oferta de trabalho e nós não temos pessoal qualificado”.

OFERTA – Para Gelson Costa, prefeito de Candói, o município e o Estado têm o papel não só de implantar as políticas públicas, mas de oferecer condições para que as famílias consigam desenvolver seus objetivos de vida. “Essa qualificação profissional casa a teoria do Família Paranaense com a prática em si, o que traz qualidade de vida para a nossa população”, disse.

A prefeita Rose Raggiotto, de Querência do Norte, afirmou que a qualificação profissional vai ao encontro de uma necessidade dos municípios e das famílias. “Os cursos vão possibilitar emprego digno, melhoria na renda e aumento da autoestima”, disse.

Queremos que, mais do que nunca, essas famílias tenham independência financeira, social e profissional. Esse é mais um compromisso para começarmos a modificar de forma concreta a realidade profissional dessas famílias”, acrescentou a secretária da Família.

FAMÍLIA PARANAENSE – O Família Paranaense, lançado em 2012, é a principal estratégia do Governo do Paraná para erradicação da pobreza. O programa está presente nos 399 municípios do Estado e já atendeu 331 mil famílias com ações de acompanhamento familiar e transferência de renda. O investimento nas ações do programa chega a R$ 229,1 milhões.

Foi através da parceria com os municípios que conseguimos fazer a diminuição da pobreza e da miséria no Estado. Assim, conseguimos ser exemplo para o Brasil e, segundo o BID, para países do Caribe e da América Latina”, afirmou Fernanda Richa.

PARTICIPANTES – Os municípios que receberão a qualificação profissional serão Altamira do Paraná, Alvorada do Sul, Bituruna, Campina da Lagoa, Candói, Contenda, Coronel Vivida, Faxinal, Guairá, Guaratuba, Imbituva, Jardim Alegre, Laranjeiras do Sul, Lunardelli, Mallet, Mandirituba, Mariluz, Morretes, Ortigueira, Palmas, Pinhão, Piraí do Sul, Piraquara, Pitanga, Prudentópolis, Quedas do Iguaçu, Quinta do Sol, Querência do Norte, Quitandinha, Reserva, Reserva do Iguaçu, Roncador, Santa Cecília do Pavão, Santa Izabel do Oeste, Santo Antônio do Sudoeste, São João do Triunfo, São Sebastião da Amoreira, Tijucas do Sul, Vera Cruz do Oeste, Wenceslau Braz.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: