EVOLUÇÃO NO TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM APARELHO AUTOLIGADO

Desde os primeiros aparelhos ortodônticos datados de 1880, houve um constante desenvolvimento de novas técnicas, tanto para buscar modificações que permitissem o aperfeiçoamento do emprego das forças ortodônticas, como também para aumentar a eficiência do tratamento. Baseado nisso a eficiência da terapia ortodôntica se baseia em um correto diagnóstico e em uma boa resposta biológica do paciente à biomecânica proposta pelo ortodontista, onde a seleção dos materiais tem papel importante.

Os avanços tecnológicos nessa área caminharam para um sistema de bráquetes que permite ao ortodontista atingir resultados surpreendentes, não só nas crianças e adolescentes, mas também nos adultos. Se considerarmos que o osso do adulto não tem a mesma capacidade de remodelação que o osso da criança, podemos entender que o tratamento ortodôntico no adulto é mais limitado. Entretanto, o desenvolvimento dos aparelhos autoligados, tem tornado possível o sonho de muitas pessoas em ter o sorriso dos sonhos.

Ao longo dos 22 anos de experiência profissional, percebemos que pacientes adultos cada vez mais, tem procurado o consultório odontológico em busca de tratamento ortodôntico para corrigir a mordida e, principalmente, para melhorar a estética do sorriso. Afinal, não existe idade máxima para a realização do tratamento ortodôntico, embora o adulto necessite de atenção redobrada em relação às perdas ósseas dentarias, problemas gengivais, próteses mal adaptadas, etc. O tratamento é um pouco mais limitado, contudo, desde que o caso seja bem avaliado e planejado, e utilizando todos os recursos que a ortodontia contemporânea oferece, podemos conseguir resultados bastante positivos.

Os aparelhos autoligados tem sido apresentados como um diferencial na ortodontia, que procura oferecer um tratamento com menor tempo de trabalho e um tratamento menos doloroso se comparado com os aparelhos convencionais, trazendo assim mais conforto ao paciente. Os aparelhos autoligados foram criados com o intuito de ser um sistema com menor atrito, o que pode proporcionar uma mecânica de deslizamento e alinhamento mais eficiente, tornando o movimento dentário mais rápido. Com a existência de um menor atrito entre as estruturas do aparelho e a possibilidade de se aplicar a força adequada para a movimentação dentária a ser obtida, os danos aos tecidos que circundam os dentes serão menores, causando movimentações mais rápidas e eficientes e ao mesmo tempo menos efeitos colaterais que possam causar dor.

Nos aparelhos ortodônticos autoligados, não há a necessidade do uso das ligaduras elásticas, os próprios bráquetes possuem uma estrutura que serve para prender os arcos ortodônticos por meio de um clipe que pode ser metálico ou cerâmico. Esse sistema permite um menor atrito do fio metálico com a canaleta do bráquete, o que permite a aplicação de uma força mais suave e menos incômoda ao paciente. A ausência das ligaduras elásticas diminui significativamente o acumulo de placas bacterianas, evitando cáries, mau hálito e outros problemas bucais ao paciente.

Certamente que cada caso precisa ser analisado individualmente. Temos arcadas dentárias mais favoráveis ao tratamento e outras, menos. Entretanto, o sistema Autoligado dentro da filosofia DAMON tem apresentado resultados brilhantes em termos de estética do sorriso, conforto, tratamentos mais rápidos e com menos extrações dentárias. Tudo isso ainda com a possibilidade de bráquetes estéticos, quase imperceptíveis, mas que são tão eficientes e resistentes quanto os aparelhos ortodônticos metálicos.

Se associarmos essa tecnologia do Sistema Damon, conhecida como Damon Smile, a procedimentos restauradores, como resinas e porcelanas, podemos modificar o sorriso do adulto de forma significativa, o que trás grande satisfação não só ao paciente, mas também a nós, profissionais da saúde, que passamos a ter diversos recursos disponíveis para resolver a grande maioria dos problemas que chegam todos os dias em nosso consultório.

Compartilhe: