Etapas para Contratação de um Financiamento Imobiliário


Warning: json_encode() expects parameter 2 to be long, string given in /home/folha/public_html/wp-content/plugins/envira-gallery/src/Functions/gallery.php on line 576

Warning: json_encode() expects parameter 2 to be long, string given in /home/folha/public_html/wp-content/plugins/envira-gallery/src/Functions/gallery.php on line 576

Atualmente a alternativa mais utilizada para construir ou adquirir um imóvel é o financiamento imobiliário, mas até chegar à fase de assinatura do contrato com a instituição financeira existem vários passos a serem seguidos e é muito importante se preparar, pois cada um deles pode afetar diretamente o sucesso do seu projeto.

Porém não é preciso perder o sono, nós do Bora resumimos todo o processo para você:

Condições para financiamento: Os pré-requisitos que possibilitam o financiamento pelos recursos mais convencionais são:

Ter mais de 18 anos ou ser emancipado com 16 anos completos;

O seu nome não pode estar em cadastros de devedores, como SERASA;

A prestação não pode ser maior que 30% da sua renda familiar mensal bruta;

Não ultrapassar 80 anos e seis meses na soma da sua idade ao prazo de amortização, o que é verificado para a cobertura do seguro habitacional;

Caso queira utilizar recursos do FGTS:

Ser brasileiro ou possuir visto permanente no país;

Você não pode ser proprietário, cessionário, estar comprometido ou ter direito de compra de outro imóvel residencial urbano, concluído ou em construção;

Você não pode possuir financiamento ativo nas condições estabelecidas para o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer parte do País;

Não ter recebido desconto do FGTS em outro financiamento habitacional;

O imóvel deve ser utilizado para sua moradia.

Para o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) Sua renda familiar bruta deve ser até R$ 7.000,00​ por mês, e quanto menor o valor da renda, maior o subsídio do governo.

Simulação: Antes de começar as buscas para a aquisição ou construção do seu imóvel, acesse o site ou procure um correspondente da instituição financeira de sua preferência para realizar uma simulação e descobrir o valor máximo que você pode financiar, também o valor que terá que ser disposto na entrada e ainda se o seu rendimento mensal será o suficiente para pagar as parcelas do valor pretendido. O credenciado também te ajuda a estimar os valores que você gastará em todo o processo com averbações e registros.

Definição do imóvel: Nesta etapa você já sabe os limites de valores e está na hora de definir se irá construir ou adquirir um imóvel pronto para iniciar as buscas pelo projeto ideal. Uma Particularidade no caso de financiamento de imóvel usado, é que pelos métodos de financiamento convencionais as instituições financiam até 50% do valor apenas e em caso de imóveis novos e construção o valor chega até 80%. Outro fator importante em imóveis prontos e novos é que a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) do projeto deve ter sido feita em nome de pessoa jurídica do ramo da construção civil para Alvarás emitidos após 01/07/2017. Fique de olho!

Investigue o imóvel: Se você vai construir e localizou um terreno ou então já encontrou um imóvel pronto nas condições desejadas, é hora de descobrir se existe alguma restrição que impeça o financiamento do mesmo. O objeto da aquisição deve estar plenamente regular, pois o mesmo é a garantia do financiamento. Sendo assim ele deve estar atualizado junto ao Cartório de Registro de Imóveis e não haver sobre ele nenhuma pendência judicial.

Documentação: Se você optou por construir chegou a hora de contratar um engenheiro ou arquiteto para desenvolver o seu projeto e aprovar junto aos órgãos públicos, e se optou por adquirir um imóvel pronto basta solicitar a documentação para o proprietário atual e juntar com a sua para que o correspondente inicie os trâmites de aprovação junto à instituição financeira.

O correspondente irá solicitar para você a seguinte documentação:

Documentos pessoais solicitados para o proponente e o cônjuge (se for o caso): RG e CPF; comprovante do estado civil; comprovante de endereço; cartão de conta corrente ou poupança; documentação complementar (dependentes); certidão de nascimento ou RG e CPF dos dependentes menores de 18 anos; certidão de nascimento ou RG e CPF e declaração da faculdade dos dependentes menores de 24 anos;

Documentos comprobatórios de renda FORMAL (contracheques dos últimos 02 meses; declaração de IR completa com recibo de entrega; pró-labore; recolhimento GPS).

Documentos complementares – em caso de renda INFORMAL (Última fatura paga de cartão de crédito, água, energia elétrica, telefone, aluguel, condomínio, TV a cabo; Extrato de movimentação bancária dos últimos 03 meses com limite de cheque especial).

Em caso de utilização do FGTS e/ou para comprovação de FGTS a mais de 3 anos (mesmo que não haja utilização): CTPS (página da foto, qualificação, contratos de trabalho, opção pelo FGTS e observações relevantes); Extrato do FGTS atualizado de todas as contas que serão utilizadas; Cartão do PIS ou CIDADÃO.

Análise da instituição financeira: Com toda a documentação em mãos o credenciado dará a entrada no seu processo junto à instituição para a análise de viabilidade técnica o que demora em torno de 30 dias. Assim que a proposta for aprovada deve ser providenciado o seguro habitacional que é obrigatório e fica vigente durante todo o tempo do financiamento, e em caso de algum imprevisto pode até chegar a quitar as parcelas restantes.

Assinatura do contrato: Nesta etapa a instituição fará contato para a emissão do contrato, que deve ser devidamente assinado e registrado junto ao no Cartório de Registro de Imóveis, efetivando a transação de compra e venda.

Sobrou alguma dúvida sobre como financiar um imóvel? Entre em contato conosco!

Na semana que vem trataremos de uma das principais preocupações referente a obra: o custo! Fique atento, e até lá.

Compartilhe: