Estudo propõe 100% de orgânicos na merenda escolar


A governadora Cida Borghetti recebeu nesta sexta-feira (19) um estudo para o aumento progressivo de produtos orgânicos na alimentação escolar. O documento traz um levantamento para incluir a merenda escolar 100% orgânica nas escolas da rede estadual de ensino e é resultado de levantamentos elaborado por um grupo de trabalho formado por profissionais da Fundepar, Emater, Ministério Público e de associação de agricultores.

A proposta visa também aumentar a produção orgânica no Estado e de alimentos da agricultura familiar, explicou a governadora. “É um projeto que integra várias ações de estado e organiza a rede de orgânicos, desde a produção rural até as escolas”, disse Cida.

Ela lembrou que hoje 45% dos alimentos que chegam às escolas vêm da agricultura familiar – incluindo orgânicos. Cida destacou que o Governo do Estado praticamente dobrou o volume de alimentos orgânicos adquiridos da agricultura familiar – passando de 1 milhão de quilos, em 2017, para quase 2 milhões neste ano.

“A alimentação saudável nas escolas é importante para garantir qualidade no aprendizado e um desenvolvimento melhor das nossas crianças. Além disso, buscamos estimular a agricultura familiar com a geração de renda e oportunidades no campo”, disse a governadora.

ESTUDO

O estudo prevê implantação da merenda 100% orgânica até 2030. O plano de trabalho é dividido em quatro etapas com crescimento gradativo de dois em dois anos até chegar a 100% no fim do ano de 2030.

O presidente da Fundepar, José Roberto Ruiz, explicou que o estudo organiza também a estrutura de apoio aos pequenos agricultores para garantir a produção para abastecer as escolas. “Existe uma estrutura de apoio e fomento para que os agricultores possam se dedicar mais à produção de orgânicos”, disse.

NOVOS AGRICULTORES

A principal estratégia da Emater será estimular novos agricultores a aderirem à produção de orgânicos, explicou o presidente do instituto, Richard Golba. “Estamos empenhados para cumprir nossa parte”, disse ele.

De acordo com o procurador de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior, todos os levantamentos foram elaborados em conformidade com a Lei Estadual nº 16.751/2010 e com o Decreto 9.117/2018, que instituiu o Grupo de Trabalho Intersetorial Estadual. “A perspectiva é o cumprimento da legislação e o aumento no acesso aos alimentos orgânicos no Paraná”, declarou.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: