Estimativa é fazer 400 exames no consultório itinerante

carretaA carreta do Hospital do Câncer de Barretos encerra seu atendimento em Cianorte na próxima sexta-feira (1° de setembro). A estimativa da coordenação é fazer aproximadamente 400 exames em três dias. “Nós já fizemos o agendamento antes e devemos ter uma lista de espera de cerca de 200 mulheres”, estima a coordenadora Iraci de Sarges. “Quem não conseguir ser atendida agora, nós indicaremos  para serem atendidas no sistema de saúde da cidade”.

Os procedimentos feitos no ambulatório itinerante que está na praça da Igreja Matriz são exames de mamografia e papanicolau. É um trabalho de prevenção contra o câncer de mama, câncer de colo do útero e doenças sexualmente transmissíveis.

Enquanto a enfermeira recebe a paciente no ambulatório no caminhão, atendentes fazem contatos com as mulheres que agendaram a consulta para marcar horário. Uma das dificuldades para esse tipo de prevenção na saúde da mulher ainda está na desinformação. É comum as pacientes terem medo e até mesmo se recusarem a fazer exame por falta de informações sobre os procedimentos. “Por isso é muito importante fazer campanha sobre a prevenção. Até mesmo quem já agendou o exame, fica com medo. Mas não tem nenhum problema nesse tipo de exame”, comenta Sarges.

EVITANDO – O trabalho de prevenção tem exemplo eficiente em Barretos (SP), de onde a carreta que está em Cianorte é originária. Há cinco anos não se registra um caso de tratamento de câncer nesse segmento em 18 cidades da região, segundo informações da coordenação do projeto.

carreta2Essa é a primeira vez que a carreta do Hospital do Câncer de Barretos passa por Cianorte. A estimativa do projeto é que o veículo faça atendimento em aproximadamente 800 cidades ao ano.

POLÊMICA – A carreta ficou sem atender em Cianorte na segunda e terça-feira pela falta de documentação para os procedimentos que faz. Os papeis foram apresentados e a prefeitura liberou o atendimento que começou hoje (30). Vale ressaltar que é um procedimento comum nos órgãos públicos cobrar documentação para a prestação de serviços e atendimentos públicos. Ninguém pode montar uma estrutura em espaço público e começar a atender pessoas por conta própria. Principalmente na Saúde que exige condições adequadas para os pacientes.

Um outro exemplo pode ser dado com placas de indicações nas entradas da cidade apontando a proibição de vendedores ambulantes. Os interessados em vender algum produto nas ruas da cidade devem se dirigir até a prefeitura para verificar a possibilidade, conforme seus produtos e documentação.

A prefeitura de Cianorte informa que “o município não tem demanda reprimida para os exames de preventivo de câncer de colo de útero nas Unidades Básicas de Saúde e nem para as mamografias, que são realizadas pela rede conveniada (Santa Casa e Instituto Mafra) prontamente, sem fila de espera”.

Texto e foto: Andye Iore / Folha de Cianorte

Compartilhe: