Estado destina mais recursos para área da saúde da UEM

O Governo do Estado vai fazer novos investimentos para fortalecer a estrutura de saúde vinculada à Universidade Estadual de Maringá (UEM). São R$ 860 mil para a conclusão da oncopediatria do Hospital Universitário e mais R$ 1,7 milhão para a obra da clínica odontológica da UEM. Curitiba, 10/01/2017. Foto: Divulgação SESA

O Governo do Estado vai fazer novos investimentos para fortalecer a estrutura de saúde vinculada à Universidade Estadual de Maringá (UEM). São R$ 860 mil para a conclusão da oncopediatria do Hospital Universitário e mais R$ 1,7 milhão para a obra da clínica odontológica da UEM.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, que informou a destinação dos recursos nesta quarta-feira (10), na UEM, o objetivo é reforçar o atendimento disponível à população, assim como melhorar as condições de ensino dos acadêmicos dos cursos da área da saúde.

“São duas obras bastante aguardadas pela comunidade e que, com certeza, serão um marco para a saúde de Maringá. Investimentos que demonstram a atenção que o Governo do Estado tem dado à região”, destacou o secretário.

Para a oncopediatria do HU, o governo está destinando R$ 860 mil dos quais R$ 315 mil já estão na conta da universidade. O repasse permite que UEM finalize a obra da nova ala de tratamento infantil. O recurso deve ser utilizado na adequação física do espaço que será referência em oncologia pediátrica hematológica de pacientes de 115 municípios.
De acordo com a assessora especial para oncopediatria da UEM, Silvia Maria Tintori, a obra foi entregue com problemas estruturais pela antiga construtora e agora será necessário fazer intervenções no sistema de tratamento de ar, na rede interna de gases medicinais e em outras áreas físicas.

“Tivemos que fazer um novo projeto e instaurar processo administrativo para sanar todos esses problemas. Depois disso, abrimos uma nova licitação e agora, graças ao repasse da Secretaria da Saúde, poderemos retomar a obra e ter a perspectiva de finalmente colocar o serviço à disposição da população”, conta Silvia.

Estima-se que a estrutura terá capacidade para atender 115 casos novos por ano, que é hoje a média da região. Atualmente, o Hospital Universitário da UEM já faz o diagnóstico do câncer infantil, contudo o tratamento é realizado em outros serviços de referência, em Curitiba.

“Queremos que as crianças sejam atendidas aqui, mais perto de casa. Isso ameniza o sofrimento das famílias e permite que os parentes estejam mais presentes no transcorrer do tratamento. Isso é fundamental para a recuperação da criança”, destaca o secretário Caputo Neto.

A unidade receberá pacientes de zero a 18 anos. Serão beneficiadas crianças e adolescentes que necessitam de acompanhamento multiprofissional durante vários anos, mesmo após a remissão do quadro inicial, com consultas e procedimentos com frequência variada, que pode ser diária, semanal, mensal ou anual.

Segundo a direção da UEM, o serviço deve iniciar até segundo semestre deste ano. Além disso, outro pleito antigo da universidade será atendido: a ampliação do Complexo Odontológico de Ensino, Pesquisa e Assistência. O Estado repassará R$ 1,4 milhão para obra e mais R$ 300 mil para equipamentos.

CLÍNICA ODONTOLÓGICA – Os recursos devem ser transferidos do Fundo Estadual de Saúde para a universidade ainda neste primeiro trimestre do ano. O aporte extra viabilizará a conclusão do complexo odontológico, cuja obra foi iniciada em 2007 e de lá pra cá foi entregue em etapas. Depois de pronto, o prédio terá 3,5 mil metros quadrados, divididos em três pavimentos, e abrigará 64 consultórios odontológicos.

A previsão é ampliar em 20% o número de atendimentos ofertados à comunidade. O espaço também contemplará outros setores do curso de Odontologia, como laboratórios de pesquisa, dois auditórios para eventos, área administrativa e salas para aulas e projetos.

O reitor da UEM, Mauro Luciano Baesso, afirma que todos esses investimentos e ampliações de estruturas serão essenciais também para que a universidade avance no sentido de aumentar a oferta de vagas em diversos cursos. “Até o final do ano, vamos inaugurar também outros 100 leitos de internação no nosso HU. Isso fará com que dobremos a capacidade do hospital. Com isso, podemos pensar na ampliação das vagas dos cursos de medicina e demais da área da saúde”, vislumbrou.

Texto e Foto: AEN-PR

Compartilhe: