Encontro Estadual dos Centros da Juventude reúne 200 gestores e técnicos de 25 municípios

Cerca de 200 pessoas participaram do III Encontro Estadual dos Centros da Juventude, realizado nesta terça e quarta-feira (24 e 25), em Curitiba. O evento, promovido pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, reuniu técnicos e gestores da rede socioassistencial de 25 municípios que possuem Centros da Juventude. Nestes espaços são ofertadas atividades culturais, esportivas e de qualificação profissional para jovens de 12 a 29 anos.

A coordenadora da Proteção Social Básica da secretaria, Alzenir Sizanoski, explicou que o encontro foi uma oportunidade para reunir as equipes, alinhar a metodologia de trabalho e trocar experiências. “Trabalhar com jovens exige muito conhecimento e preparo dos técnicos que atuam na ponta. Precisamos fortalecer essa interlocução com as experiências desenvolvidas nos centros da juventude”, disse a coordenadora.

Alzenir destaca, também, que ações são voltadas para o resgate e fortalecimento da autonomia juvenil. “Batemos muito na tecla do protagonismo saudável para os jovens e para nossa sociedade. Assim, capacitamos os profissionais para saberem como fortalecer o que esses adolescentes têm de positivo”, afirma.

NOVAS EXPERIÊNCIAS

O representante da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul, Aldo Peres, veio ao Paraná para conhecer as atividades e organização dos Centros da Juventude.

Temos seis Centros da Juventude no Rio Grande do Sul e eu vim aprender com a vasta experiência já conquistada aqui no Paraná. Me chamou muito a atenção o engajamento das pessoas que participaram do evento. Todos trouxeram suas experiências, mas vieram com um grande compromisso de aperfeiçoar os trabalhos”, afirmou Peres.

Para ele, a troca de conhecimento fortalece a política pública da juventude como um todo. “Temos diferenças entre os estados, mas temos que aprender com elas e construir essa política cada vez com mais qualidade”, disse.

INTEGRAÇÃO

A representante da Secretaria Municipal de Assistência Social de Paranavaí, Daniele Alencar, participa do evento pela primeira vez. “Todo mundo acha que o seu município tem a maior dificuldade, mas quando participamos de encontros como esse, entendemos outras vivências, outras dificuldades e aprendemos juntos”, conta.

Para o coordenador do Centro da Juventude de Curitiba, Paulo Henrique Pulcides, poder trocar as experiências é uma forma gratificante de melhorar a qualidade dos serviços. “Já é um trabalho bom, mas a gente tem que melhorar ainda mais o atendimento aos nossos jovens e às nossas comunidades”.

CENTROS

O Paraná conta com 26 Centros da Juventude, entregues a partir de 2011 aos municípios que assumiram a responsabilidade pela manutenção e funcionamento dos espaços. Os recursos para as obras (R$ 67,6 milhões) vieram do Fundo Estadual para a Infância e Adolescência (FIA), com a aprovação do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca).

As cidades que têm Centro da Juventude são: Almirante Tamandaré, Apucarana, Cambé, Castro, Campo Mourão, Campo Largo, Cascavel, Curitiba, Curitiba, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Ivaiporã, Jacarezinho, Lapa, Laranjeiras do Sul, Maringá, Palmas, Paranavaí, Pinhais, Piraquara, Pitanga, São José do Pinhais, São Mateus do Sul, Telêmaco Borba, Toledo e Umuarama.

PROTAGONISMO

Uma das atividades desenvolvidas nos centros da juventude é o projeto Agentes de Cidadania. Por meio dele, adolescentes e jovens recebem uma bolsa-auxílio de R$ 210 por mês, para desenvolver um projeto de cidadania e aplicá-lo nas comunidades onde vivem. Desde 2013, já participaram do projeto 816 adolescentes.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: