Dupla é presa com carga de R$ 300 mil em cerveja roubada

cerveja

Duas cargas de cerveja e outra de fertilizantes foram recuperadas no município de Campo Largo, região metropolitana, pela equipe de investigação da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas (DFRC) de Curitiba. Duas pessoas foram presas em flagrante durante a ação, que aconteceu no último sábado (23). As cargas foram avaliadas em R$ 420 mil, sendo R$ 300 mil só as cervejas.

Os policiais receberam informações de que duas carretas que transportavam diversas caixas de cervejas, de marcas variadas, haviam sido roubadas e que o rastreamento localizava uma região de Campo Largo. Mas, ao chegar no local apontado pelo rastreador não havia nada.

Em continuidade às diligências pelo município, a equipe localizou uma das carretas no bairro Bom Jesus. Porém, o veículo já estava com as placas adulteradas conforme verificado pelo número de chassi. Logo em seguida a equipe encontrou a segunda carreta, no bairro Jardim das Américas – ainda em Campo Largo — também com a placa já modificada. As duas carretas carregadas com cervejas foram avaliadas em R$ 300 mil.

Os investigadores realizaram campana nos locais e flagraram o momento em que dois homens “resgatavam” as cargas das carretas. Momento em que foram abordados e presos em flagrante por receptação.

De acordo com o delegado da especializada, Rafael Vianna, durante as diligências em relação ao roubo de carga de cervejas, a equipe também localizou nas proximidades uma carreta com carga desviada de fertilizante, avaliada em R$ 120 mil. “Nós já investigávamos esta carga de fertilizante desviada. Agora vamos apurar se a dupla também está envolvida com mais este crime. Além disso, as investigações continuam para identificar as demais pessoas envolvidas com a ação criminosa”, finaliza Vianna. Os dois presos responderão por receptação e adulteração de sinal identificador de veículo. Ambos encontram-se à disposição da Justiça.

O delegado afirmou ainda que as investigações se aprofundaram após a prisão de um motorista de uma transportadora de Santa Catarina (SC), em abril deste ano, suspeito de desviar uma carga de 50 toneladas de soja que seria entregue no Porto de Paranaguá. “Esse esquema de desvio de carga já trouxe milhões em prejuízo para várias empresas, seguradoras e também aos cofres públicos, uma vez que impostos também são sonegados”, finalizou Vianna.

Texto e foto: SESP-PR

Compartilhe: